sou do tempo do onça

*

É incrível que já se passaram dois anos desde que eu e a Leila fomos à UC Berkeley participar de um painel sobre blogs na Graduate School of Journalism. Lá, nós ouvimos o legendário Dan Gillmor falar sobre a interação entre ele e os seus leitores e outros pioneiros afirmarem que o futuro é blog.
Quando estivemos em Berkeley, eu já mantinha o meu blog há três anos, mas a Leila ainda não tinha se convencido a abrir o dela, decisão que ela finalmente e felizmente tomou em 2004.
Olhando para trás na minha carreira de blogueira, não consigo evitar de me sentir um pouco nostálgica. Quando comecei o The Chatterbox no ano 2000, a blogosfera brasileira era uma pequena vila, onde quase todos se conheciam e se interagiam. Era um clima legal, de camaradagem, onde quase todo mundo se linkava e se lia. Hoje a blogosfera se estendeu numa proporção incomensurável. Pra tentar definir a magnitude que essa comunidade tomou, repito uma frase que disse em 2001 – O mundo dos blogs está overpopulated.
Resumindo, todo mundo tem um blog. E quando digo, todo mundo, quero mesmo dizer todo mundo! Até a minha mãe teve um, durante um período. Eu acho fantástico que a utilização dessa ferramenta tenha se popularizado e diversificado. Mas admito que sinto um pouco de saudades daquela pequena vila. Hoje eu não consigo mais linkar todo mundo, visitar todo mundo e ficou super trabalhoso pescar o que é bom no meio de um mar de boçalidade. Como a própria internet, a blogosfera virou uma rede gigantesca, na qual eu sobrevivo me sentindo da velha guarda, caminhando sempre em frente, mas sem nunca ter realmente saído do lugar.

  • Share on:
Previous
sempre na onda
Next
polka dots
  • Oi Fer,
    e acredita, um ano e meio depois, que tenho aqui guardadinho seu e-mail sobre o início do seu curso? Tinhamos começado a trocar e-mails sobre nossaas experiências acadêmicas. Me enrolei na correção de alguns trabalhos e fui deixando para responder seu e-mail depois. Está lá e hoje não tenho mais coragem.
    Beijos Fer.

  • Também morro de saudades e me sinto um dinossauro, Fer!
    Em 2002, escrevi um trabalho sobre blogs com vistas a pós-graduação e o cenário já era de mudança. hoje em dia, então, nem se fala!
    Infelizmente a palavra-chave hoje é “seleção”.
    Beijo grande,

  • Leila, seria otimo se todos pensassem e agissem como voce.
    Gisele, a Deb resolveu se dedicar aos estudos. Ela encerrou o blog, mas tenho certeza que continua firme fazendo college.
    Alison, a big hug! 🙂
    beijos & kisses,

  • Se lembram do Deb na Gringolândia? Eu adorava o blog dela, alguém tem alguma notícia ou será que ela desistiu mesmo desse mundo depois do ocorrido no World Trade Center em 2001 !!

  • Fer, não vejo essa amizade virtual entre blogueiros que se identificam como panelinhas excludentes. Acho que temos uma curiosidade natural por novos e bons blogs, e novos comentaristas nas nossas caixas sempre são bem vindos (a não ser que venham com grosserias e xingamentos, óbvio!). Beijos,

  • Cath, ele eh muito simpaticao! 🙂
    Elisa, faz sentido isso que voce disse.
    Ines, tenho saudades da Gertrudes! 🙂
    Carol, o Orkut eh uma merda [pardon my French….]!
    Carla, o sistema nao grava mesmo, nunca consegui arrumar isso. Sorry…
    Marcus, precisamos fazer um encontro virtual. Tipo aqueles encontros de high school.. 🙂
    Marcelo, voce eh muito gentil, obrigada!
    Leila, no inicio ninguem precisava se identificar com ninguem, alias fora o fato de todos serem trabalhadores da internet, ninguem tinha muito em comum. Mas a camaradagem existia de qualquer maneira. Hoje voce precisa ter a sua turma, a sua panelinha, pra nao ficar de fora.
    Beijos pra todos voces!

  • Fer, obrigada pelo link! Olha, eu já cheguei na fase overpopulated, mas ainda acho que é possível encontrar a camaradagem e a vila que você estava falando, quando você encontra um grupo de bloggers com quem se identifica. Há um número enorme de blogs de qualidade, mas nem todos necessariamente são “a minha praia”. Por exemplo, gosto dos que discutem assuntos gerais, de política e cultura a abobrinhas, de forma bem humorada e inteligente. Então, em vez de visitar 100 excelentes blogs, eu visito uns 8 por dia. Os blogs pisca-pisca eu ignoro, nem leio.

  • Pois é Fer, vim aqui agora justamente porque acabo de responder a uma pesquisa que um cara está fazendo sobre o início da blogosfera brasileira e me deu a maior saudade daqueles tempos 😉
    Mas nem vou colocar a culpa dessa saudade na super população da vizinhança. O problema é minha falta de tempo mesmo.
    Aquela vizinhança antiga tá quase toda aí. É só juntar a turma novamente 🙂
    Abração

  • É Fer, você é da velha guarda mesmo! A frustação que sentes deve ser semelhante àquela que meus avós se reportam quando falam da cidade: “na minha época … esta rua não era nem calçada … esta avenida enorme era de chão batido e a gente ia visitar toda vizinhança no final de semana” … Com a diferença de que você fala de 4 ou 5 anos atrás e meus avós falam de 60.
    Beijos!!!!

Deixe uma resposta para Rosana Cancelar resposta

o passado não condena