pegadas

*

Eu queria saber quem circula pelo meu blog, como, onde e por que. Eu queria saber quem realmente são os tais pára-quedistas, o que eles vêem procurar aqui, o que querem, por onde entram, por onde saem. Não são os leitores, os que vêem aqui pra ler, que acompanham as histórias, os escritos. São os que nem sabem que isso é um blog.
Curiosidade pasmou o gato! Meusenhordocéu, que coisa horrorosa! Essa gente chega em massa, vêem procurando por coisas inimagináveis, não sei como bloqueá-los. Já coloquei todos os scripts pra evitar que os procuradores de palavras e imagens chegem aqui ou no Cinefilia, mas não obtive sucesso. Ou melhor, consegui tirá-los das minhas páginas principais. Mas neste final de semana tive uma visão geral dos blogs e choquei com a invasão literal que essa gente faz pelos arquivos. Eu achando que só quem queria me ler chegava aqui e me espantei com o movimento de feirão nos fundos dos meus blogs.
Agora já sei quem vem, quando, como e por que. E estou um pouco abalada. Não quero esse baile funk acontecendo no meu quintal. Me senti invadida quando vi todas aquelas pegadas….

  • Share on:
Previous
um monte de gato
Next
lucky charms
  • Fer
    Visito seu blog desde que vi um conto na casa das 1000portas.Coloquei seu conto e mais nove num post (algum mes do primeiro semestre).
    Adoro suas imagens eas coisas que você conta do estrangeiro.
    Aqui a gente vai levando.
    Moro em São Paulo.

  • Olá
    Sou brasileira,moro em Campos do Jordão estado de São Paulo.
    Conheci o seu blog por acaso alguns dias atras e o que me chamou mais atenção foi a qualidade das suas fotos,você tem muita sensibilidade,eu sou artista e gosto do que é belo.
    Me deu então uma curiosidade de saber como é um brasileiro viver tão longe de onde nasceu,como é se adaptar ao clima,a cultura,por isso entrei no seu quintal.
    Por sinal sua casa é linda seus gatos também.
    Eu tenho uma gatinha que é a minha paixão.
    Seu nome é docinho.
    Um abraço
    Yone

  • Eu não consegui entender o que você quis exatamente dizer. Se você quisesse que apenas conhecidos acessassem seu blog, o melhor não seria exigir-se um cadastro para entrar ou então algo como uma rede mais particular como Orkut? As pessoas chegam aqui mesmo. E quer saber como? Quanto mais links houverem para o seu site, mas facilmente ele vai ser encontrado pelo Google. Assim, qualquer palavra de um comentário ou post será identificada facilmente. Mas como você conseguiu indentificar que “paraquedistas” vieram parar aqui. Eu vim por causa da “Casa das Mil Portas”, porque escrevi para ela também. E achei o seu blog interessantíssimo, e sempre venho aqui para LER os seus artigos que, a mim, são maravilhosos.

  • Fer, mas as vezes as pessoas que vem para o feirao podem acabar se interessando pelas muitas belezas desse blog. Ou estou sendo Poliana demais? mmmm acho que estou, sim. Fora, Poliana.
    Desculpe o sumico, andei em ritmo intenso aqui. Primeiro, de trabalho e depois, de comemoracao. Agora nao consigo voltar ao trabalho, claaaro!
    Mas eh tao legal vir aqui e encontrar voce escrevendo sempre do seu jeito unico. E agora vou bisbilhotar nos arquivos. 🙂
    Beijos!

  • Eu também tô curiosa. Sou zero nessas tecnologias. Meu blog continua do mesmo jeito de 3 anos atrás, quer dizer, mudei o template uma vez. Só isso.

  • melhor pensar nas pessoas legais, que vem aqui para te ler. Gente esquisita sempre tem e em qualquer lugar, hehehe. Quando eu digo que tenho medo de gente, isso não é de graça, infelizmente.

  • Fer, por isso que eu resisti por um bom tempo a usar uma ferramenta dessas que identifica as buscas de google ou coisa parecida que vão dar no meu blog. Sabia que ia ter muita coisa creepy. Mas, como você, no final a curiosidade matou o gato! Tinha desde gente procurando pela palavra “pornô”, distúrbios psíquicos e até imagens de atrizes – nada a ver com o conteúdo geral do meu blog.

Deixe uma resposta para Alex Mendes Cancelar resposta

o passado não condena