escapuliu!

*

Estávamos vendo tevê por horas, quando decidi descer para fechar portas, apagar luzes, antes de ir tomar banho e deitar. Deixamos a porta da sala aberta durante a tarde, para arejar, só com a porta de tela fechada. Assim que pus os pés na sala entrei em total pânico vendo a porta de telinha entreaberta! Gritei, os gatos sairam, os gatos sairam, aímeudeusdocéu! O Uriel desceu correndo, foi pegar a lanterna, eu passei os olhos pelos pontos onde os gatos costumam ficar – tapete do hall, cadeira da cozinha, cadeira da sala, tapetinho da porta da cozinha – e avistei somente o Misty pançudo deitadão. Ele não saiu, ele é obediente e não faz nada que o Roux faz, por orgulho ou despeito, não importa, o que importa é que ele não saiu. Então o autor da arte de abrir a porta e escapulir foi o espevitado Roux. Me deu um desespero, o quintal todo escuro e eu pensando que se esse gato besta pulou a cerca e seguiu em direção ao shopping ou ao Arboretum, poderíamos perder ele para sempre. Foram uns minutos de pânico, eu rodopiando pelo quintal escuro e berrando Roux, Roux, Roux, mesmo sabendo que o pateta nem sabe que o nome dele é Roux. De repente o sujeito chega todo correndinho e serelepe vindo da direção da horta. Ouviu a minha voz e veio. Não pude acreditar na arte que esse gatonildo aprontou, abrindo a porta de tela sei-lá-como e vistando o quintal por não-sei-quanto tempo. Deve ter sido a aventura da vida dele. Agora está fazendo plantão na porta de vidro – fechada – da sala. Nananinanão, seu espertinho! Agora não vou dar a chance para você treinar suas habilidades fugitivas.

  • Share on:
Previous
um minutinho da sua atenção…
Next
o que você está fazendo?
  • Fer, queridoca, precisava te escrever porque se me lembro bem é esta semana que vocês viajam. Nao vou poder ir te encontrar là onde vocês estiverem (acabei de descobrir que tinhamos marcado um passeio com um pessoal pro final de semana do 17 de agosto). Além disso sei que vocês nao passam tanto tempo juntos de férias e nao quero perturbar a festa, né?
    Mas posso te telefonar onde você estiver. Desejo boa viagem pra vocês! Me manda teu telefone quando você chegar, viu? Beijos, desculpa a doidice, estou meio atarentada esses ùltimos dias.!

  • Daria pra fazer vários posts das fugidas dos nossos, hehehe. Mas, diferentemente dos demais, os nossos atendem pelo nome. Na hora da comida chamos um por um pelo nome e eles aparecem exatamente na ordem chamada. Quando estão juntos e chamamos apenas um deles, só o chamado levanta a cabeça para nos olhar. Claro que os gatos conhecem os nomes que damos a eles. Podem não dar significado, mas o som eles identificam. A amplitude de audição dos gatos cobre 10 oitavas e eles podem distinguir entre duas notas que diferem uma da outra apenas um décimo de tom. Além do mais, eles conseguem avaliar com 75% de precisão a origem de um som que esteja a 1 metro de distância, e podem ouvir sons agudos que a espécie, dita superior, jamais conseguiria. Putz, quase vira uma aula, hehehe bjs

  • Fer,
    quando é a viagem? Esta semana? Desculpe o comentário off topic, mas estou pasando aqui pra dizer que fiz o brunch no domingo e foi um SUCESSO! depois, se a preguiça não for grande demais, vou escrever e postar fotos sobre o evento.
    beijão e boa viagem,
    Samu

  • Primeiro of all: o Misty não é pançudo, ele é fofo.
    Tenho muitas fotos dele aqui, vbc sabe, e mostrei para a Telinha que veio me visitar no sábado.
    Segundo of all: Esta já está eleita minha crônica preferida hohoho
    Deliciaaaa!
    beijos

  • Fernanda eu já tinha desconfiado que gatos não sabe que o nome é deles. É isso mesmo? Moro no 7º and. Já telei até as janelas dos banheiros. Já perdi 02 Julie, pela janela. Estou colocando uma porta telada de vai e vem p/ não deixa-las vir p/ sala p/ conta de pêlos.Para chama-las, balanço o depósito de plástico com a ração. Elas vem correndo.

  • Como disse a Solange, antes o quintal do que o meio da rua: Ninoca a-do-ra xeretar na rua, não podemos nem piscar que a maloqueirinha já tá lá. e eu moro em uma ladeira, os carros descem à toda. Não quero nem imaginar panqueca de Ninoca, ai ai…

  • Antes o quintal que o sexto andar: a siamesa aqui de casa, que é bem magrinha e flexível, AMA passar por telas, grades e ficar beeeeem pendurada olhando lá embaixo. É cada susto…

  • Hummm deve ser genético :-). O primo dele aqui, sai na sacada atado numa corda e mesmo assim peguei ele outro dia sentado no parapeito da sacada do lado exterior da grade, encurtamos a corda. Mas o Roux até que deve ser bem comportado, pois não foi longe. Agora fica de olho nele, que ele deve estar esperando uma outra oportunidade 😉 Beijocas.

Deixe uma resposta para Tereza (Bruxelas) Cancelar resposta

o passado não condena