esbagaçada

*

Chuva e frio!
Ontem fui dormir as 3am. Fiquei vendo um filmeco na tv esperando pelo Ursão que finalizava na loucura um paper com deadline pra onteontem. Hoje estou me sentindo um trapo… Nem o café me levantou…..Gosh. E tenho tanta coisa pra fazer: meu boletim, a história, a louça, o chão, a roupa suja, o Safeway. E quarta e quinta (ou quinta e sexta?) estaremos sartando fora rumo a Nevada. Vamos ver como é a coisa por lá. Entrevista para ele, espera e descobertas para mim. Minha barriga dói. Apesar de eu não dar na cara e quase ninguém perceber, eu não tenho muito espírito aventureiro! 🙂

Ontem um pensamento cruzou minha cabeça. Eu lembrei de uma sessão no Fisher-Hoffman, quando tivemos uma experiência ultra-sensorial de cheiro e toque (foi em 1980) e todos se entrosaram. Na hora da avaliação descobri que dos 7 participantes (eram 8, incluindo eu) somente um não tinha feito nenhum contato comigo. Eu não percebi nada, até a hora que ele admitiu: ‘não, eu não quis chegar perto dela, preferi ignorá-la’. Eu fiquei em choque!! FUI IGNORADA, COMO PODE??? Vocês já repararam como as vezes a gente nem percebe que está sendo ignorado, mas quando cai a ficha não dá um mal estar, tipo ‘o que eu fiz pra essa pessoa?…’? Neste caso, do rapaz que me ignorou na sessão do FH, não tinha nada a ver comigo mas sim com a mãe dele. Inacreditavelmente, aos 18 anos eu provoquei uma sensação de repulsa no rapaz, que confessou que eu fazia com que ele se lembrasse da mãe dele: no meu jeitão fisico. E eu, que nem mãe de ninguém era, tomei a responsa de reconquistar a confiança e a simpatia do cara. Acho que eu nunca fui mesmo muito com a cara dele, pois não conseguimos nos tornar amigos, como eu e o Fer ficamos, por exemplo. Mas lembrando disso ontem, percebi que as vezes você é ignorado não pelo que você é, mas pelo o que o outro pensa que você é, e quase sempre essa imagem é equivocada, então posso dar um suspiro de alivio e dizer bem alto… WHATERVER! 🙂

Ontem curtimos um sanduiche em Berkeley e uma exposição que me deixou meio abalada. Pensei muito e fiquei com aquela sensação de ressaca…. Depois, com calma, vou escrever sobre o que vi. Agora, melhor começar a trabalhar e parar de matracar…. Ai,segundona….

  • Share on:

horário de inverno

*

Lindo dia ensolarado de outono!
Meu bom dia pro Brasil agora vai chegar 6 horas atrasado! Quando eu estiver acordando (nos meus horários de vagal!) muitos já estarão quase jantando.. 🙂

Saímos do horário de verão. Eu adoro o outono e o inverno, mas esse negocio de ficar tantos fusos e horas pra trás eu não gosto. Some todo mundo da internet.. quando eu to zzzz ta todo mundo acordado, quando eu to acordada ta todo mundo zzzz…. droguis!

Ontem, depois de ver o Russell Crowe tão esbagaçado no The Insider, vi ele lindinho dimais da conta em Mistery, Alaska. Alguém já viu esse filme sobre um time de hockey de uma cidade do Alaska, que enfrenta o New York Yankees?? 🙂 Tem tanto ator bom e famoso no filme.. Alem do Crowe de cabelinho comprido…. 😉 Eu matei as saudades dos meus tempos de Alaska! Lembrei que meu filho chegou no Brasil em 96 empunhando um stick de hockey no aeroporto. No percurso canadense o stick foi com ele, junto com os passageiros, todo mundo tropeçando no treco. Na parte americana, tivemos que por uma etiqueta no pau e despachar como mala (porque poderia ser usado como arma, a alfândega americana nos explicou – e pode mesmo, né?). Meu filho era apaixonado por hockey e ate quebrou o dente da frente nos jogos da escola, em campo aberto como no filme. Você sabia que todo canadense tem ao menos UM dente quebrado por causa do hockey? 🙂 O Jim Carrey tem! Em Dumb&Dumber ele tirou a massinha e ficou de dente quebrado original para fazer aquele papel de idiota do filme! 🙂 Agora você já sabe onde ele quebrou o dente…. 😉

Bom, vou pra Berkeley…. bye!

  • Share on:

vamos lá!

*

Agora é pra valer! Chega de testes! Vamos inaugurar logo esse weblog…. Primeiro vou dizer como a descoberta do Boggler me deixou inspirada. Eu sempre fui fã e adepta dessas coisas de diários, journals, depoimentos, olhar pela janela da casa dos outros, ler sobre pessoas que eu não conheço. Eu mantive uns diários quando ainda era adolescente. Mas eu tive a força de espírito de rasgá-los e jogá-los todos no lixo (pra reciclagem) numa primavera de limpeza geral, quando me baixou o primeiro santo de me livrar de tudo quanto era papelada do meu passado.

Oh, well… com aqueles diários (e inúmeras cartas) foi-se a minha breve carreira de escrevinhadora do dia-a-dia e memorialista. Mas agora vou retomar do ponto onde parei….

Hoje está um sábado típico de outono. Meio chuvoso, um vento, deu uma esfriada. Bom, o Halloween está ‘just around the corner’e tínhamos que ter um clima típico pra acompanhar o feriado. Ontem abriu o oportunista The Blair Witch Project II, ou sei lá como eles chamaram essa seqüência do filme que fez um baita sucesso no ano passado. Foi ele que me deu um boost para começar a escrever sobre cinema. Mas eu não vou ver esse segundo. Achei demais da conta eles fazerem uma continuação… Onde está o orgulho dessa gente? Ai, e falando em Halloween, preciso ir no Wal-Mart comprar doces. Todo ano é sempre a mesma coisa: eu deixo tudo pra última hora e daí não encontro mais nada nas lojas. E desta vez vou ter que fazer eu mesma o Jack-O-lantern, já que não estou mais trabalhando na escola (onde eu ganhava as abóboras já esculpidas..). Então vamos fazer a lista: balas, abóboras, sabão em pó, maçãs, leite, pão, queijo…

Ah, nesta semana no caderno de comida do Sac Bee saiu uma reportagem sobre o restaurante do Coppola em North Beach, San Francisco. É uma pizzaria que tem o certificado de pizzas autenticas napolitanas (que parece que isso não é fácil de conseguir). Uma personal pizza custa na base de $15, o que é meio carinho, mas o restaurante é num prédio antigo (agora não lembro a historia). Vamos la, Moa? 🙂

E o Francis Coppola também tem uma vinícola no Napa Valley, que é aberta a visitação (como quase todas as vinícolas dela). Já resolvi que vou combinar com o Ursão para irmos lá, só pra ver a do Coppola. Agora não é a melhor época do ano pra visitar o Napa Valley, mas who cares?? 🙂 No verão nos estivemos lá com a minha mãe (que adorou as degustações – minha mãe adora vinho!) e no cellar de uma das vinícolas (a Beringer) o guia nos disse que ali foi filmada algumas cenas do filme A Walk in the Clouds, como o Keanu Reeves. Eu me lembro de ter quase dormido no cinema vendo esse filme e que tinha ficado super decepcionada (apesar que o Keanu esta LINDO!!). Bom, outro dia ele estava passando na tv e eu assisti, pois queria ver a adega onde eu estive. Exatamente! é uma cena com o Keanu e o Anthony Quinn bebendo dentro do cellar, eles estão numa mesinha e a adega de vinhos esta atrás deles! U-la-la! 🙂 é legal você reconhecer num filme o lugar onde você já esteve, né?

Eu quero ir pra Berkeley neste findi. Quero ver uma exposição que está sendo mostrada no Berkeley Art Center. Chama-se ‘Ethnic Notions: Black Images in the White Mind. Também quero ver o filme do Spike Lee – Bamboozed. E tem The Contender, que parece ser um filme legal. Nossa, como eu ‘falo’, hein? Deixa eu ir organizar minha vida…..

  • Share on:

um cineminha

*

Fui ao cinema hoje a tarde. Sessão das 3:25pm.
Só tinha eu e mais dois gatos (um gato e uma gata)
pingados no cinema. Menos mal, não tinha ninguém
fazendo ‘croc croc croc’ com pipoca no meu cangote.
Mas não pude dar gargalhadas altas (bem que eu quis)
porque iria ressoar e todo mundo (os outros dois) iriam
saber que era eu rindo.Mas tudo bem. Ralei a língua
chupando balinhas azedas e vi com o coracao todo
emocionado o Woman on Top. Tem musica brasileira,
tem Bahia, tem trio com violãozinho, tem acarajé, tem
Iemanjá e tem o tal do Murilo Benicio cantando em português
e interpretando em inglês que é uma gracinha! Ele não é
bonitãO, mas tem um chame.
Epa, mas vamos parando que esses comentários são pra
amanha no Cine&tv. O que eu quero escrever é outra coisa.
Eu sai do cinema e fui correndo na Borders porque queria
gastar um $10 off que ganhei outro dia. Já sabia ate o CD
que eu iria comprar, mas dando uma browseada correndo
pela loja (eu tinha esse pensamento obsessivo na cabeça,
de que tinha deixado o forno ligado assando um frango…)
achei um outro CD e nem pensei duas vezes, troquei! Era
uma caixinha com 3 CDs com todas as musicas que o David
Bowie tocou em vários programas da BBC de Londres, de 68
a 72. são quase quarenta musicas. E de quebra ainda tem
um show que ele fez na mesma radio em junho deste ano..
Quantos anos depois, hein? 🙂 Três Cds por $21 e é uma
verdadeira preciosidade. O que aconteceu é que meu cupom
de $10 off só vai começar a valer dia 20 (puta consumismo
afobado, hein?) e o caixa perguntou ‘vai levar sem desconto
mesmo?’ e é CLARO que eu levei, né? To ouvindo agora….
Laralarara! 🙂
Olhando o booklet dos cds, tem fotos do Bowie de todo jeito.
Muitos estilos de cabelo, não é a toa que ele é chamado de
camaleão. E a cara dele me fez lembrar de vários filmes
com ele, pois o cara ainda é ator. é ate injusto isso, não?
Tanto artistinha ai se esforçando pra ser bom em pelo menos
alguma coisa e o Bowie é otimo em tudo!
Bom, lembrei do filme estranhíssimo The Man Who Fell to
Earth. Eu vi esse filme na tv um dia antes de eu casar!
E outro filme que me marcou foi Sede de Viver. é esse
mesmo o nome? Ele era um vampiro, não era? E outro
onde ele é um soldado na segunda guerra? Quem lembra?
E no Basquiat, onde ele faz o papel do Andy Warhol! 🙂
Ah, deixa olhar o frango e terminar de ouvir meus Cds!

  • Share on:

Armageddon….(aka, O Dia que Bruce Willis Salvou o Planeta)

*

Putsz, to ate com dor de cabeca…
Cade meu Tylenol??
Acho que peguei um virus. Um inofensivo, tipo de gripe. Deitei no sofa, com um cobertor e minha gata Misty Gray me acompanhando e intencionava dormir em frente da tv, coisa que faz anos que eu nao faco.
Mas vi o Bruce Willis jogando golfe numa plataforma de petroleo, uns ativistas do greenpeace e o Ben Affleck com aquela cara de pateta escondendo a Liv Tyler embaixo das cobertas da cama dele. Era Armageddon, eu ja sabia, pois esse filme vive passando na tv e eu nunca tinha visto, nem no cinema, que eu sou extremamente seletiva nessa funcao.
Entao vamos la, meio grogue, fiquei rindo das bobeiradas. Um asteroide vai destruir a terra e a Nasa manda chamar o melhor furador de buracos do planeta pra mandar pro espaco e encarafunchar uma bomba dentro do asteroide e detonar o dito cujo antes que ele destrua nossa amada terra. E quem eh esse furador? Bruce Willis, claro! O fodao! 🙂 Ele diz: 6 bilhoes neste planeta e por que voces me escolheram? Ah, isso nao eh pergunta que se faca, neh? Sendo ele o cara que die hard, nao poderia haver escolha melhor…
Entao ele chama os amigos dele e depois de muita demonstracao de serem todos caras comuns, down-to-earth e ate um pouco delinquentes, vao todos aboletados em dois foguetes: Freedom e Liberty para detonar o asteroide que ameaca a existencia da terra.
Quem nao viu esse filme e pensa em ver nao precisa ler o resto, porque eu vou contar o final.
Minha cabeca ta doendo de tanta gritaria e tensao. Do momento que eles saem da terra comecam os problemas. Nao vou me cansar reproduzindo detalhes, mas no meio de um dos fracassos da missao (foram inumeros – um milagre que nao morreu todo mundo logo na primeira cena em outer space) uma das fagulhas do asteroide destroi Paris.. PARIS!!! Foi-se tudo, ate a gargula do Moa… Ja pensou a raiva dos franceses, que ja tem a maior birra dos americanos? Goddammit, eles fizeram de proposito! Nao me conformo!
Bom, no fim o mundo todo na expectativa – explode aqui, cai pedrona ali, a bomba eh acionada, desacionada, encrenca, o buraco nao eh fundo o suficiente, a maquina furadeira explode (matando mais um heroi… oh, well, se ninguem morrer dai eh que eh marmelada mesmo, neh?), o pessoal sobrevivente da Liberty, que tinha explodido logo no comeco, retorna, eh a chance do Bruce Willis e o Ben Affleck fazerem umas cenas de camaradagem. Mas qdo tudo esta pronto, o remoto da bomba encrenca e alguem tem que ficar pra tras. Tiram no palitinho e quem fica? Ele mesmo, Harry, the Man, nosso heroi pra toda obra, Bruce Willis. E ele morre mesmo! Antes se despede da filha, que esta abracando o monitor com a cara dele na Nasa… E MORRE! Salva o mundo, mas MORRE, e eh a primeira vez que eu vejo um filme de acao com o Bruce Willis onde ele morre (Sexto Sentido nao vale… Esse eh cafe-com-leite!). Bom, os americanos mais um russo louco salvaram o mundo. Todos os paises festejaram. E o Aerosmith faz valer o contrato para a trilha sonora….. I don’t wanna close my eyes, cause I miss you babe, and I don’t wanna miss a thing……
E eu chorei! Tirem minha carterinha de cinefila, me excomunguem e apedrejem, mas eu tenho que confessar que chorei vendo o Bruce Willis morrer em Armageddon…. 🙂
Dois tylenol por favor!!

  • Share on:

um gelo

*

Feriadão primaveril ai no Brasil, hein?
Aqui nos USA é dia normal de labuta e
ainda por cima esta frioooo! Acho que
vamos ter que ligar o aquecedor da casa
mais cedo este ano. A previsão é de um
inverno rigorosooooo….brrr! Ainda bem
que não moro mais no Canadá. Já pensaram?
Ufa…. escapei dessa….. UM GELO! 🙂
Pois ontem eu tive a minha primeira
experiência de assistir um filme na
sala do cinema SOZINHA! Huu… Me deu
um MEDAOOO… Eu sozinha na salona escura.
Fiquei meio tensa no começo, mas o filme
valeu a pena. Ri de ter que enxugar as
lagrimas e assoar no nariz! Foi ótimo!
O filme é um documentário do Spike Lee
sobre uma turnê de quatro comediantes
negros. Chama-se The Original Kings of
Comedy e eu estou tentando escrever uma
resenha sobre ele pra edição desta semana
do Cine&tv. Aguardem…
Antes do filme começar, os trailer que
sempre me entretém desta vez me irritaram.
Primeiro que eu tava de pescoço duro, olhando
pra esquerda e pra direita por cima dos ombros
neuroticamente, por causa da sensação estranha
de estar sozinha numa salona escura. Nem lembro
muito bem quais trailers passaram. Eram todos
chatos. Mas um me chamou mais a atenção, pela
total insuportabilidade: o do filminho Charlie’s
Angels.. Madonamia!! Nunca vi nada mais obnoxious!
Acho que o filme é uma comedia…. E não achei
nem um pouco charmosa, como era a serie da década
de 70. Achei tudo falso e aquelas três atrizes
beeemmmmm fraquinhas… Well, vai ver to ficando
velha e cri-cri……
back to work….

  • Share on:

Steve McQueen

*

Eu já vi o biography do Steve McQueen umas duas vezes. Eu vi ele em Papillon. Mas não vi o Thomas Crown Affair. Um dia vou ver, só pra ver o que ele tem que o Pierce Brosnan não tem (e devia ter muito, muito mais!!). 🙂
O tipo de ator que eu tieto não tem muito a ver com o machão normalmente interpretado pelo McQueen, mas tem uma coisa nele que me fisgou. Ele era muquirana, tinha medo de ficar pobre. Ele brigou com a esposa no dia em teriam uma festa para ir. Ele saiu puto da vida de motocicleta. Ela ficou em casa chutando latas. não foram na festa, que foi justamente onde o grupo de fanáticos liderados por Charles Manson mataram varias pessoas, inclusive a atriz Sharon Tate grávida de oito meses. O nome de Steve McQueen estava na lista
que membros da família Manson carregava, de personalidades que deveriam assassinar. Ele ficou paranóico, dormia com uma arma em baixo do travesseiro. Ficou rico, perdeu tudo, ganhou tudo de novo, casou com uma das mulheres mais lindas da época, Ali MacGraw (de Love Story, quem não lembra?) e
morreu ainda novo, aos 50 anos, de câncer. Ele é um ator meio cult. E eu nunca tinha reparado muito nele…
Agora comecei a por reparo… hum! 😉
Hoje, sem querer (e poderia ser diferente?) comecei a ver um filme com ele e a Lee Remick (outra super linda) no canal de filmes clássicos. Era um filminho bobo, com uma historia tonta, mas a presença do McQueen (e da Remick)
valem o resto da bobeirada. Baby the Rain Must Fall. Ele é um marginal, um cara que só se estrepa com a lei, age por impulso e se encrenca. Foi adotado por uma velha que manipula a vida dele. Casou e teve uma filha com a Lee Remick, mas nunca viveu realmente com ela, pois passou vários anos a penitenciaria. Quando ele sai, ela vai encontra-lo com a filha. Vivem numa cidade desolada no Texas. O xerife no pé dele e ele tentando não voltar pra cadeia, super cool de
camisa e calca jeans justa, só quer saber de tocar sua guitarra, com seus companheiros de uma banda de rhythm & blues. E ele canta….! Dublado, com certeza! E bebe, briga e tenta viver uma vida normal com a Lee Remick…. não dá certo, é claro, porque ‘he ain’t no good…’. Um filminho, mas que filminho! 🙂 McQueen dirige um carrinho velho conversível a toda, como james dean, e rock’n’roll toca alto no radio, diz que quer ser famoso como elvis presley e nos mostra ‘some skin’. Sorry fanzocos do Pierce Brosnan, mas eu não consigo imaginar bofe inglês algum, tirando a coroa de machão de Mr. Steve McQueen! E FUI!

  • Share on:

o passado não condena