declawed

*

Acordei com dor de cabeça de tanto que eu chorei ontem por causa da minha gata, a Misty Gray. Fazia tempo que eu estava achando estranho que ela brincava comigo e nunca que apareciam as garras das patas da frente. Também ela é super pesadona e faz um barulhão no chão, quando anda ou salta. Fui ligando os pontos e ontem resolvi examiná-la, porque estava desconfiadíssima que ela tinha sido ‘declawed’ (ter as garras removidas cirurgicamente). Ela me mordeu, mas eu pude ver o horror…. Ela não tem as garras das patas da frente. Fui correndo ler sobre ‘declawing’ e não conseguia mais parar de chorar! Isso é considerado uma amputação, como se cortassem os dedos das mãos ou pés de um ser humano até o osso! Na Inglaterra isso é considerado prática desumana, mas aqui nos EUA o declawing ainda é muito popular. E PRA QUE, meudeusdocéu?? Pro gato não arranhar os lindos móveis do seu dono… Que desculpa mais esfarrapada, porque hoje existem mil técnicas e objetos para treinar o animal a não arranhar os móveis. Fiquei nauseada e com uma tristeza imensa, imaginando o sofrimento a que a minha amiga Misty Gray foi submetida.. e PRA QUE? Me digam? Pra QUE?? Estou revoltada com essa mentalidade brutamontes e primitiva… Tenho vontade de urrar e dar na cara de quem fez isso com ela…. To BRAVA, muiiiito brava…..
Mas agora ela está dormindo, toda enrolada no meu quilt azul…. Como ela é linda.. eu adoro a Misty Gray!
Mr. Ursão saiu pra trabalhar de manhã cedinho. Mas me prometeu um cinema mais tarde. Ainda não achei em que cinema está passando o novo filme do Spike Lee, Bamboozled. Com certeza teremos que ir pra Sacramento. É bom, assim eu saio desta toca.

  • Share on:

cansaço

*

Sabadão ensolarado e friozinho!

Ontem à noite me deu uma baita canseira, dessas que não deixa você nem com vontade de falar, sabe? E eu acabei na cama as 10:30pm! Uau, não deitava tão cedo assim desde os meus tempos de labuta no Russell Park CDC… Mas foi bom, porque hoje as 8am eu já estava de olhos abertos na cama e acabei levantando, porque estou mesmo muito a fim de puxar meu schedule de volta pra horários mais matutinos. Senão fico com a sensação que o dia passou e eu não vi.

Mesmo desempregada, eu tenho sempre uma pilha de coisas pra fazer. Tem uma lista – aliás, várias listas. Tantas mensagens pra escrever, pegar meu refil do remédio, lavar os tapetes, tentar ressuscitar meus sapatos (que a Misty Gray, num desaforo por ter ficado aqui com o Gabriel enquanto nos fomos pra Nevada, fez uma xixizada em cima deles – destruiu uma das minhas Birkenstocks..), ler uma pilha de revistas, outra pilha de livros, ir ao cinema, não esquecer do supermercado, fazer outra coleira pra gata (como ela aprontou esses dias!), levar o vestido preto no Paul’s Clearner, preencher o formulário da Aspire, fazer sushi, terminar de ler aquele texto sobre tv que eu imprimi, trabalhar um pouquinho nas frames das tables, etc, etc, etc……

Descobri um curso de design online, com precinhos camaradas, mas achei os tópicos meio xumbregas…. Sei lá, pro próximo quarter já vou poder voltar pras minhas classes na UCDavis, gracasadeus!!!!!

Acabei de dar uma travada na minha coluna… Que dor! Hoje não estou inspirada… Better say bye bye…

  • Share on:

visitantes

*

Quando visitamos um lugar como turista, é comum observamos os detalhes especiais, as qualidades fantásticas do lugar, que nos saltam aos olhos e diferem do lugar de onde viemos. Olhamos para as grandes coisas, para a paisagem, para os pontos turísticos, para as diversidades.

Eu já tinha estado em Las Vegas e Reno, visitando essas cidades como turista. Como elas pertencem ao mesmo país onde eu vivo, não prestei muita atenção a detalhes que não fossem a magnitude do luxo e do exagero das construções e instalações dos cassinos. Sobre o dia-a-dia do povo dessas cidades, só um breve pensamento inquisitivo me passou pela mente: como será que eles vivem? O que eles fazem aqui? Será que todo mundo trabalha com algo relacionado aos cassinos?

Agora uma dessas cidades, neste estado estrangeiro de Nevada, está quase para se tornar a minha ‘casa’. Desta vez eu visitei Carson City, Reno e a parte de Nevada de Lake Tahoe com outra mentalidade. Desta vez eu procurei ver o que as pessoas comuns, que vivem no lugar, fazem e como elas são. Eu nunca tinha reparado que o povo de Nevada tem um sotaque diferente do da Califórnia. Desta vez isso me saltou aos ouvidos! E também reparei em como eles são gentis – numa coisa bem mais de estilo interiorano, do que a gentileza groovie dos californianos. Também olhei a poeira, a secura e o verde-acinzentado do deserto com mais interesse. Perguntei o que acontece com toda aquela terra quando chove. Fica a maior lama? A resposta que recebi foi que lá quase não chove, mas neva um pouquinho e isso ocasiona uma lama de vez em quando, mas não muita. Quis saber se lá tinha cinema, se tinha provedor pra conectar na Internet, onde estavam os shoppings, tem universidade por perto, quantos minutos de carro é daqui pra lá e de cá pra lá? O Ursão disse que eu estava de olhos arregalados e pensou que era de susto….. Mas era mesmo pra melhor enxergar!

  • Share on:

from Nevada

*

Chegando de Nevada, ainda em tempo para a minha blog de hoje!
Em Reno comprei um journal! Isso mesmo! Daqueles de papel, estilo pré-internet. Ainda tenho salvação? Escrevi dois postais pro meu amigo: ‘too much internet!’. Estou viciada, mas vou tentar um rehab. Escrever à mão dói, vocês já tentaram?? 🙂 Mas eu tenho uma baita força de vontade!

Mais um postal do Dylan. Já não tenho mais onde colocá-los! Mas nesse ele está com as mãos nos bolsos e a guitarra no chão. Valeu os 75 cents!

Depois de arregalar meus olhos mais uma vez pra dureza da paisagem verde-acinzentada do deserto, me delicio com o céu escurecendo, uma estrela e lua (minguante?) emoldurando as montanhas de pinheiros já cheinhas de neve da Sierra Nevada. Abro meus olhos e reconheço a paisagem da I80 em Sacramento. Que sensação de conforto e familiaridade…. Califórnia, I’m coming home!

  • Share on:

pós-bruxa

*

Sol e frio!
Ontem inúmeros dragões, batmans, princesas, mortes, barbies, abelhas, ursinhos, piratas, personagens de cartoons de todo tipo me visitaram à noite. Toc toc toc… Trick-or-treat! E foi-se embora uma tonelada de balas. Como presente do dia das Bruxas, recebi uma mensagem do meu editor: o site para quem eu trabalhava dispensou mais da metade dos jornalistas. No topo da lista fui eu – uma correspondente internacional é o artigo mais supérfluo que pode existir, em tempos bicudos de crise. Crise? Aqui na Califórnia eles estão desesperados atrás de gente qualificada pra trabalhar. Nunca o desemprego esteve tão baixo. Triste ironia para mim, que carrego uma etiqueta de um visto retrogrado. E agora não tem trabalho pra mim nem aqui, nem lá. (Respirando fundo!)

Meu irmão me liga hoje de manhã e diz que está chegando dia 14. Eba! Inaugurai o dia com uma boa notícia! Amanhã, sedeusquiser, teremos outra. Vão-se os dedos, ficam os anéis. A caravana passa e os cães ladram. Tudo bem, no ano que vem. O próximo feriado festivo será o Thanksgiving. Preciso pensar numa coisa pra levar pra minha hostess. Flores? Chocolate? Velas perfumadas? Um colar de pedras brasileiras? Estou numa imensa dúvida. Mas já sei sobre o que iremos conversar…

Ontem não teve televisão aqui em casa. Hoje na primeira página do Sac Bee só li desgraça: um avião caiu em Taiwan (dois professores da UCDavis estavam a bordo – se salvaram), um acidente com um caminhão na I50 (dois mortos), um engenheiro caiu do 20 andar de um prédio em construção em downtown Sacramento (that freaks me out!). É amanhã (ou é hoje??) o Dia dos Mortos mexicanos, quando uma festança inominável invade as ruas do país. Eu recortava as calaveras em papel branco, para enfeitar as portas e janelas da escola. Ontem várias dos meus ex-alunos vieram trickortreating na minha porta. Eu me diverti até as 8pm. Sempre achei que deveríamos adotar o Halloween ou o Dia dos Mortos estilo mexicano e abolir o dreadful Finados. Foi num dia 02 de novembro de muitos anos atrás que eu escrevi (ou melhor, datilografei na minha Olivetti verdinha) meus primeiros pensamentos de escrevinhadora…. Nunca mais parei.

Califórnia –> (galope, galope, galope…) —-> Nevada

Que será, será…. Whatever will be, will be….

  • Share on:

happy halloween

*

!Frio e Sol!
Hoje é Halloween e graçasadeus eu já resolvi o problema dos doces! Ontem no Safeway, joguei um monte de saquinhos de balas no meu carrinho, comprei três mini-pumpkins e resolvi a questão. No way que eu vou correr atrás de abóboras grandes pra ainda ter que ficar carvucando e fazer a Jack’O’Lantern… Neste ano vou ficar sem esse apetrecho decorativo. Ah, não…. É muito trabalho e eu hoje tenho que fazer a laundry sem falta! Daqui a pouco não vou ter mais meias e já ta bem friozinho….

Ontem eu tremia de frio vendo tv. Que tolice ficar chacoalhando o esqueleto numa casa com calefação. É que Mr. Ursão é HOT e nunca sente frio…. Eu já sou uma friorenta (e uma calorenta no verão). Assistíamos uma tremenda porcaria chamada But I’m a Cheerleader….. Que filminho! Só valeu pelo RuPaul destransvestido! Depois eu fiz um chá de limão, ligamos o aquecedor e assistimos Girl, Interruped. Um filme interessante, se bem que pra mim não tem filme de hospício que bata o Estranho no Ninho.

Bom, com balinhas e abóborazinhas, vou esperar pelas crianças mais tarde. Já estava devorando uma das balinhas, que vêem num saquinho e são um monte de partezinhas do esqueleto…. Mãozinhas, costelinhas, ossinhos, pézinhos, caveirinhas…. Tudo bem azedinho e colorido…. Hummm!! Happy Halloween!

  • Share on:

esbagaçada

*

Chuva e frio!
Ontem fui dormir as 3am. Fiquei vendo um filmeco na tv esperando pelo Ursão que finalizava na loucura um paper com deadline pra onteontem. Hoje estou me sentindo um trapo… Nem o café me levantou…..Gosh. E tenho tanta coisa pra fazer: meu boletim, a história, a louça, o chão, a roupa suja, o Safeway. E quarta e quinta (ou quinta e sexta?) estaremos sartando fora rumo a Nevada. Vamos ver como é a coisa por lá. Entrevista para ele, espera e descobertas para mim. Minha barriga dói. Apesar de eu não dar na cara e quase ninguém perceber, eu não tenho muito espírito aventureiro! 🙂

Ontem um pensamento cruzou minha cabeça. Eu lembrei de uma sessão no Fisher-Hoffman, quando tivemos uma experiência ultra-sensorial de cheiro e toque (foi em 1980) e todos se entrosaram. Na hora da avaliação descobri que dos 7 participantes (eram 8, incluindo eu) somente um não tinha feito nenhum contato comigo. Eu não percebi nada, até a hora que ele admitiu: ‘não, eu não quis chegar perto dela, preferi ignorá-la’. Eu fiquei em choque!! FUI IGNORADA, COMO PODE??? Vocês já repararam como as vezes a gente nem percebe que está sendo ignorado, mas quando cai a ficha não dá um mal estar, tipo ‘o que eu fiz pra essa pessoa?…’? Neste caso, do rapaz que me ignorou na sessão do FH, não tinha nada a ver comigo mas sim com a mãe dele. Inacreditavelmente, aos 18 anos eu provoquei uma sensação de repulsa no rapaz, que confessou que eu fazia com que ele se lembrasse da mãe dele: no meu jeitão fisico. E eu, que nem mãe de ninguém era, tomei a responsa de reconquistar a confiança e a simpatia do cara. Acho que eu nunca fui mesmo muito com a cara dele, pois não conseguimos nos tornar amigos, como eu e o Fer ficamos, por exemplo. Mas lembrando disso ontem, percebi que as vezes você é ignorado não pelo que você é, mas pelo o que o outro pensa que você é, e quase sempre essa imagem é equivocada, então posso dar um suspiro de alivio e dizer bem alto… WHATERVER! 🙂

Ontem curtimos um sanduiche em Berkeley e uma exposição que me deixou meio abalada. Pensei muito e fiquei com aquela sensação de ressaca…. Depois, com calma, vou escrever sobre o que vi. Agora, melhor começar a trabalhar e parar de matracar…. Ai,segundona….

  • Share on:

horário de inverno

*

Lindo dia ensolarado de outono!
Meu bom dia pro Brasil agora vai chegar 6 horas atrasado! Quando eu estiver acordando (nos meus horários de vagal!) muitos já estarão quase jantando.. 🙂

Saímos do horário de verão. Eu adoro o outono e o inverno, mas esse negocio de ficar tantos fusos e horas pra trás eu não gosto. Some todo mundo da internet.. quando eu to zzzz ta todo mundo acordado, quando eu to acordada ta todo mundo zzzz…. droguis!

Ontem, depois de ver o Russell Crowe tão esbagaçado no The Insider, vi ele lindinho dimais da conta em Mistery, Alaska. Alguém já viu esse filme sobre um time de hockey de uma cidade do Alaska, que enfrenta o New York Yankees?? 🙂 Tem tanto ator bom e famoso no filme.. Alem do Crowe de cabelinho comprido…. 😉 Eu matei as saudades dos meus tempos de Alaska! Lembrei que meu filho chegou no Brasil em 96 empunhando um stick de hockey no aeroporto. No percurso canadense o stick foi com ele, junto com os passageiros, todo mundo tropeçando no treco. Na parte americana, tivemos que por uma etiqueta no pau e despachar como mala (porque poderia ser usado como arma, a alfândega americana nos explicou – e pode mesmo, né?). Meu filho era apaixonado por hockey e ate quebrou o dente da frente nos jogos da escola, em campo aberto como no filme. Você sabia que todo canadense tem ao menos UM dente quebrado por causa do hockey? 🙂 O Jim Carrey tem! Em Dumb&Dumber ele tirou a massinha e ficou de dente quebrado original para fazer aquele papel de idiota do filme! 🙂 Agora você já sabe onde ele quebrou o dente…. 😉

Bom, vou pra Berkeley…. bye!

  • Share on:

vamos lá!

*

Agora é pra valer! Chega de testes! Vamos inaugurar logo esse weblog…. Primeiro vou dizer como a descoberta do Boggler me deixou inspirada. Eu sempre fui fã e adepta dessas coisas de diários, journals, depoimentos, olhar pela janela da casa dos outros, ler sobre pessoas que eu não conheço. Eu mantive uns diários quando ainda era adolescente. Mas eu tive a força de espírito de rasgá-los e jogá-los todos no lixo (pra reciclagem) numa primavera de limpeza geral, quando me baixou o primeiro santo de me livrar de tudo quanto era papelada do meu passado.

Oh, well… com aqueles diários (e inúmeras cartas) foi-se a minha breve carreira de escrevinhadora do dia-a-dia e memorialista. Mas agora vou retomar do ponto onde parei….

Hoje está um sábado típico de outono. Meio chuvoso, um vento, deu uma esfriada. Bom, o Halloween está ‘just around the corner’e tínhamos que ter um clima típico pra acompanhar o feriado. Ontem abriu o oportunista The Blair Witch Project II, ou sei lá como eles chamaram essa seqüência do filme que fez um baita sucesso no ano passado. Foi ele que me deu um boost para começar a escrever sobre cinema. Mas eu não vou ver esse segundo. Achei demais da conta eles fazerem uma continuação… Onde está o orgulho dessa gente? Ai, e falando em Halloween, preciso ir no Wal-Mart comprar doces. Todo ano é sempre a mesma coisa: eu deixo tudo pra última hora e daí não encontro mais nada nas lojas. E desta vez vou ter que fazer eu mesma o Jack-O-lantern, já que não estou mais trabalhando na escola (onde eu ganhava as abóboras já esculpidas..). Então vamos fazer a lista: balas, abóboras, sabão em pó, maçãs, leite, pão, queijo…

Ah, nesta semana no caderno de comida do Sac Bee saiu uma reportagem sobre o restaurante do Coppola em North Beach, San Francisco. É uma pizzaria que tem o certificado de pizzas autenticas napolitanas (que parece que isso não é fácil de conseguir). Uma personal pizza custa na base de $15, o que é meio carinho, mas o restaurante é num prédio antigo (agora não lembro a historia). Vamos la, Moa? 🙂

E o Francis Coppola também tem uma vinícola no Napa Valley, que é aberta a visitação (como quase todas as vinícolas dela). Já resolvi que vou combinar com o Ursão para irmos lá, só pra ver a do Coppola. Agora não é a melhor época do ano pra visitar o Napa Valley, mas who cares?? 🙂 No verão nos estivemos lá com a minha mãe (que adorou as degustações – minha mãe adora vinho!) e no cellar de uma das vinícolas (a Beringer) o guia nos disse que ali foi filmada algumas cenas do filme A Walk in the Clouds, como o Keanu Reeves. Eu me lembro de ter quase dormido no cinema vendo esse filme e que tinha ficado super decepcionada (apesar que o Keanu esta LINDO!!). Bom, outro dia ele estava passando na tv e eu assisti, pois queria ver a adega onde eu estive. Exatamente! é uma cena com o Keanu e o Anthony Quinn bebendo dentro do cellar, eles estão numa mesinha e a adega de vinhos esta atrás deles! U-la-la! 🙂 é legal você reconhecer num filme o lugar onde você já esteve, né?

Eu quero ir pra Berkeley neste findi. Quero ver uma exposição que está sendo mostrada no Berkeley Art Center. Chama-se ‘Ethnic Notions: Black Images in the White Mind. Também quero ver o filme do Spike Lee – Bamboozed. E tem The Contender, que parece ser um filme legal. Nossa, como eu ‘falo’, hein? Deixa eu ir organizar minha vida…..

  • Share on:

um cineminha

*

Fui ao cinema hoje a tarde. Sessão das 3:25pm.
Só tinha eu e mais dois gatos (um gato e uma gata)
pingados no cinema. Menos mal, não tinha ninguém
fazendo ‘croc croc croc’ com pipoca no meu cangote.
Mas não pude dar gargalhadas altas (bem que eu quis)
porque iria ressoar e todo mundo (os outros dois) iriam
saber que era eu rindo.Mas tudo bem. Ralei a língua
chupando balinhas azedas e vi com o coracao todo
emocionado o Woman on Top. Tem musica brasileira,
tem Bahia, tem trio com violãozinho, tem acarajé, tem
Iemanjá e tem o tal do Murilo Benicio cantando em português
e interpretando em inglês que é uma gracinha! Ele não é
bonitãO, mas tem um chame.
Epa, mas vamos parando que esses comentários são pra
amanha no Cine&tv. O que eu quero escrever é outra coisa.
Eu sai do cinema e fui correndo na Borders porque queria
gastar um $10 off que ganhei outro dia. Já sabia ate o CD
que eu iria comprar, mas dando uma browseada correndo
pela loja (eu tinha esse pensamento obsessivo na cabeça,
de que tinha deixado o forno ligado assando um frango…)
achei um outro CD e nem pensei duas vezes, troquei! Era
uma caixinha com 3 CDs com todas as musicas que o David
Bowie tocou em vários programas da BBC de Londres, de 68
a 72. são quase quarenta musicas. E de quebra ainda tem
um show que ele fez na mesma radio em junho deste ano..
Quantos anos depois, hein? 🙂 Três Cds por $21 e é uma
verdadeira preciosidade. O que aconteceu é que meu cupom
de $10 off só vai começar a valer dia 20 (puta consumismo
afobado, hein?) e o caixa perguntou ‘vai levar sem desconto
mesmo?’ e é CLARO que eu levei, né? To ouvindo agora….
Laralarara! 🙂
Olhando o booklet dos cds, tem fotos do Bowie de todo jeito.
Muitos estilos de cabelo, não é a toa que ele é chamado de
camaleão. E a cara dele me fez lembrar de vários filmes
com ele, pois o cara ainda é ator. é ate injusto isso, não?
Tanto artistinha ai se esforçando pra ser bom em pelo menos
alguma coisa e o Bowie é otimo em tudo!
Bom, lembrei do filme estranhíssimo The Man Who Fell to
Earth. Eu vi esse filme na tv um dia antes de eu casar!
E outro filme que me marcou foi Sede de Viver. é esse
mesmo o nome? Ele era um vampiro, não era? E outro
onde ele é um soldado na segunda guerra? Quem lembra?
E no Basquiat, onde ele faz o papel do Andy Warhol! 🙂
Ah, deixa olhar o frango e terminar de ouvir meus Cds!

  • Share on:

o passado não condena