faz tudo que não faz nada

*

Estou com a impressão que esqueci de pagar alguma conta. Como sou eu que administro a casa, se algo ficar por fazer, a culpa será exclusivamente minha.
Também estou com essa idéia fixa que a minha casa está imunda e bagunçada, mesmo ouvindo outras pessoas dizerem que nunca viram casa mais organizada. Ou eu disfarço muito bem ou estou ficando com um grave problema…
Fiquei em estado de choque ao descobrir que os top siders estão voltando à moda. O passado me condena! Quem não teve um par de top siders na década de 80? Esses sapatos originalmente usados por iatistas viraram uma febre em todas as cores. O meus eram da Sidewalk….
Gentileza gera gentileza. Eu acho super gentil e fino dar crédito para idéias e contribuições. Vi no blog do fulano e fiz igual. Peguei a idéia do beltrano. Sicrano me deu a dica. Trés chic! Feio mesmo é pegar as idéias e dicas alheias e propagandear como se fossem próprias. Quem faz isso desce vinte degraus no meu conceito.
Eu tive um pensamento que noventa por cento da humanidade deve ter a cada milésimo de segundo: como seria viver toda a nossa vida novamente, só que com a maturidade que temos hoje. Na hora o pensamento me pareceu excitante, mas depois de imaginar viver toda a minha infância, adolescência e idade adulta com a minha cabeça atual, senti um cansaço monumental.. Viver tudo de novo? Nem a pau….
Fico por aqui mesmo, como sou, como estou! Good bye….

  • Share on:
Previous
raindrops keep falling on my head
Next
na cozinha
  • Ano passado fiz outro vestibular, 35 anos depois do primeiro. Estou adorando voltar à Escola. Acho que sei aproveitar muito melhor os professores, conviver com os colegas, selecionar o que me interessa e como aprender. Há muuuitos anos não vivia um ano tão feliz. Melhor do que quando tinha 18.

  • Fe, você nunca usou cavalo de aço? Não acreditooooooooooo hahaha
    Mas, como eu disse, o meu era muito bonitinho. Não tinha um solão, e era todo azul marinho, delicado e feminino. 🙂
    beijoca

  • Oi Fer, tudo bem? É, viver tudo de novo, dá muito trabalho, mesmo. O jeito é aproveitar o que vem pela frente.
    Top Siders, nunca tive. Acho que apareceram lá por 86… Não gostava, não. Sou do tempo do tênis iate, lembra? Ainda quadriculava ele com tinta de tecido, no melhor estilo New Wave, prá tristeza dos meus pais. “Esse menino estraga tudo que tem!” Hehehe!!!
    Cavalo de aço???
    Suspensórios eu usei bastante. Assim como aqueles chaveiros que tinham “fio de telefone”, lembra??? Nooossa, essa foi do fundo falso do baú! Hehehe!!!
    Beijos,

  • Lu, acho que esses sapatos cavalo de aco sao um pouco mais velhos, da decada de 70, nao? [ih, denunciou sua avancada idade.. hoho!]. Se eh o que eu estou pensando, sao uns sapatoes bicolores [azul/branco] com solao e saltao de borracha branca? desses eu NUNCA tive um, gracasadeus!! ha ha ha!
    Elisa, meu filho usou muito top siders na decada de 80. eles faziam de todos os tamanhos! Kichute era muito feio, tadinhaaa….. 🙂
    Juliana, realmente, deixa pra outra encadernacao… beijao!
    Erick, meu filho tbm teve desses azuis com cadarco branco! eram praticos, pois nao precisava amarrar e ele vestia rapidinho!
    beijos,

  • Oi Fer!
    Descobri o seu blog navegando pela net e amei! Nossa, me identifiquei com o que vc disse sobre viver novamente, que trabalhão seria, hein!? Melhor deixar para outra vida… 😉

  • Top sider, eu nunca tive um não? Bom, eu era novinha na década de 80. Estava na idade em que minha mãe comprava “kichute” porque eu sempre fui uma destruidora de sapatos!!! Hehe!!!
    Beijos,

  • Ai, Fe, tô rindo até agora com a minha lembrança do fuuuuundo do baú! Fui até verificar se era esse mesmo o nome dos sapatos. hahaha
    beijo

  • Você falou topsiders e eu pensei em sapatos cavalo de aço! Lembra? Eu achava horríveis. Mas tive um lindo, azul marinho , diferente dos feiosos. 🙂
    beijoca

Deixe uma resposta para Juliana Cancelar resposta

o passado não condena