após a foto, a queda

*

afotoantesdaqueda.JPG
Chegamos em San Francisco e fomos ao Ferry Building Marketplace no antigo porto da cidade, para tentar almoçar. Atravessando a avenidona para entrar no mercado, tirei uma foto do ônibus enquando andava, distraída desligando e fechando a câmera tropecei no meio fio e caí como uma manga podre, espatifada na ilha entre as ruas, na faixa de pedestres. Foi uma queda monumental, pois meu corpo voou e caiu numa posição tão esdrúxula, que eu consegui me machucar dos dois lados. A câmera foi atirada à uns cem metros e eu fiquei deitada lá no chão da avenida mais movimentada de San Francisco, com uma multidão à minha volta, minha irmã toda nervosa e todo mundo com celulares engatilhados pra ligar pro 911. Foi uma experiência bizarra, pois cair tira você do seu eixo e eu me senti vagando numa espécie de limbo por alguns minutos. Não conseguia me mexer, nem levantar, não sabia exatamente o que tinha acontecido comigo. Minha irmã disse que eu falei que não estava me sentindo bem, mas eu não me lembro disso. Fiquei lá esburrachada e prostrada, até eles me ajudarem a levantar e ver o estrago—joelhos e cotovelos estrupiados, roxão na cintura e algum dano nas costelas, que doem até quando eu rio ou respiro um pouco mais fundo. Caí, como nunca imaginei que uma pessoa pudesse cair, num mergulho no concreto, no meio da muvuca, em grande estilo.

  • Share on:
Previous
a casa da tia
Next
o que ando fazendo
  • Fe, espero que vc já esteja bem. Há muitos anos saí correndo para atravessar e pegar o ônibus e tropecei numa corrente na calçcada. Menina, voei longe, me arrebentei. Que vexame rsrs Acho que a gente disputa quem é a mais estabanada! uhauhauhauaha Minha mãe dizia: ” sem jeito mandou lembranças” e morria de rir de mim! hehe
    beijos

  • as coisas que uma mulher faz para chamar atenção! Claro que tinha que ser a rua mais movimentada! eu quando caio é em casa, porque sou uma mulher que se resguarda e se magoa sempre em zonas que infelizmente não pode mostrar a ninguém!:-)
    Rápidas melhoras!!!!!

  • poxa, fer, que triste. realmente essas coisas quando acontecem deixam a gente sem eixo, literalmente. eu também não entendo até hoje como eu fui para um lado e minha perna para outro. fiquei boa da distensão – aparentemente. agora é fazer muita fisioterapia. o fato é que eu acho que fechei um ciclo; me livrei de umas coisas que estavam me incomodando e acho que agora, depois da pneumonia, perna imobilizada e outras cositas, tudo vai melhorar. tomara que você fique boa logo, sem nada mais sério. beijão

  • Uma vez caí na rua, ponto de onibus, e lá vinha ele, levantei as pernas pra trás da cabeça e o ônibus passou feito um trem, enorme!! Inesquecível a imagem…
    Beijos. Jônice.
    Fer esse nome do seu blog sempre me traz de volta, chatterbox, único!!

  • Oi, Fer querida!
    Espero que você esteje melhor e recuperada do tremendo susto. Fiquei apavorada ao ler que tombaço que você levou…
    Uma vez desmoronei ao torcer meu pé na escada rolante de um shopping. O Yoav teve que me levar nos braços porque eu simplesmente desmaei de dor. Foi terrivelllllll, fui direto prô hospital.
    Melhorasssssssssss, beijos

  • Eu tambem ja cai assim, no meio de uma rua movimentada, cheia de transito – vi a roda de um carro frear bem pertinho de minha cabeça, e as pessoas dando gritos… uma cena de cinema americano…
    mas engraçado é que me lembro com exatidão desses minutos em que fiquei como suspensa no ar, ouvindo tudo mas sem me mexer nem piscar. Como uma quase morte, na minha fantasia a morte é assim…
    Quebrei um braço e arranhei pernas e braços. Não quebrei costela, mas podia ter quebrado.
    Vai fazer um raio x e se cuida, tá?
    Melhoras!
    Beijo

  • Espero que esteja melhor! Conheço o choque que é o encontro com a lei da gravidade, só que qdo me estatelei no asfalto suiço há pouco tempo, eu via os pés das pessoas passando por mim naquela indiferença que é uma especialidade local. Chorei mais a solidão do que a dor.

  • Vixe, Fer, espero que você esteja bem. No ano passado uma senhora caiu assim perto de mim e ficou vagando também. Coisa mais estranha. Eu fiquei com medo que fosse coisa bem mais grave, mas ainda bem que nao.
    E tu, hein? COnta isso como se nao fosse nada! Muleca.

  • Lendo a coisa agora até que fica engraçado. Mas, são esses momentos que nos fazem sentir totalmente frágeis, esse limbo que você menciona nos faz perder a noção de tempo e espaço. A força que nos faz levantar, tirada sabe-se lá de onde, recria nossa vida. Sinta-se renovada e cuide-se bem!

  • Minha mãe sempre dizia quando eu era menina. Nunca use calcinha rasgada, pois, de repente vc cai na rua, aí vai ser o maior vexame…rs,rs,rs… Tomara vc já esteja boa!!!!!!!!!!!
    Beijinho

  • eu acho engraçado como você transforma tragédia em comédia. 😀
    você tá competindo com a marina (blowg) pra ver que coleciona mais ralados no ano? 😀
    eu sei, não tem graça…
    se cuida, viu? *

  • Espero que você não tenha fraturado nenhuma costela, mas não custa ir dar uma olhada…
    Melhoras, eu vivo caindo por aí ou dando trombadas em coisas, hoje mesmo estava subindo uma rua no Cambuí a caminho da aula de alemão quando bati a cabeça em uma árvore! Que vergonha! Ainda bem que era cedo, mas os porteiros de alguns prédios devem ter dado boas risadas!

  • Fer, me identifiquei super com seu post. Caí há duas semanas e fiquei com o braço imobilizado. Mas, apesar do meu tombo ter muito menos glamour que o seu – foi em uma avenida podre no bairro do Limão, em São Paulo – acho que não me machuquei tanto. Mas ganhei uma bela marca no cotovelo, que ainda não consigo apoiar! Que besta esta história de cair! Bjs.

  • Fer, eu sei que a queda foi feia, mas não pude deixar de rir lendo seu relato do acidente. Imaginei todos aqueles americanos com seus celulares engatilhados para ligar pro 911.
    Faço coro com todas as outras: faça uma radiografia das costelas, just in case.
    E a câmera? Sobreviveu?
    beijos e melhoras

  • Concordo com a Georgia – va’ dar uma olhada nessa costela, minha irma fraturou uma numa queda boba, passou mais de uma semana ate’ descobrir porque doi’a tanto
    Espero que voce se recupere rapidamente, mas que coisa mais chata!

  • Fezoca, acho que vc quebrou alguma costela. 🙁
    Aconteceu algo parecido com o marido quando ele pisou em um papel de picolé e caiu. Parece piada, mas não é. Ficou sem poder respirar fundo, rir, espirrar, tossir, etc. Talvez fosse melhor vc fazer um raio x. Bjs e melhoras.

Deixe uma resposta para Marcelo Cancelar resposta

o passado não condena