olha só o que ela fez no passado

*

Se este blog não prestasse pra nada, ao menos ele serve pra me forçar em sessões de retrospectiva, relendo e relembrando coisas que fiz e escrevi. Às vezes eu dou grandes gargalhadas, ou sinto saudades, ou penso que bom que não é mais assim, ou que bom que ainda é assim. Se não fosse por este blog eu não lembraria o que fiz no ano passado, ou no ano retrasado, ou re-retrasado, pois tenho uma memória péssima, guardo só fatos desimportantes ou coisas difíceis de esquecer. As imagens do cotidiano infelizmente vão desbotando, ficando transparentes e desaparecendo, porque não temos condições de lembrar detalhes como fez calor quatro anos atrás e eu comprei dois livros bizarros de culinária na booksale da biblioteca pública, ou que visitei a vinícola do Francis Ford Coppola há três anos e que lá não se podia fazer picnic, ou que blogs eu indiquei há dois anos, ou que no ano passado eu estava lendo a biografia do Dylan. Quem se importa com esse monte de informação? Talvez meus decendentes fiquem “delighted” quando conseguirem decifrar o português arcaico da grand grand grandmother, aquela excêntrica que escrevia histórias engraçadas num website cor-de-rosa.

  • Share on:
Previous
é a falta de assunto….
Next
Yamato
  • Eu acho que um dos grandes baratosdo blog é justamente a gente poder “olhar para trás”, e a partir disso até se conhecer melhor, não é?
    Beijos ebom fim de semana

  • Eu me importo com este monte de informação. Acho bem interessante “ler” experiências vividas por pessoas sensíveis assim como você. Sabe Fer, eu ainda gosto de escrever com caneta (de preferência aquelas Pilots) então mantenho um diário com meus pensamentos mais íntimos e de vez em quando dou uma olhada nos diários antigos. É muito bacana mesmo.

  • Ahhh! this post is killing me softly:-)
    Que post coisa mais linda.
    Eu já tinha lhe falado (não sei se foi para você, ou para quem falei entusiasticamente desse recurso de ” Neste dia há “x” anos…”.
    Eu adoro!
    Mas o que me deixa boba é que quem lê, do mesmo jeito, que eu leio-lembra-se perfeitamente do post e dos fatos à época(ah! o da vinícola do Coppola é imbatível, podre de chic!)
    hohoho.
    Lembro, inclusive das fotos, tudo, tudinho.
    E mais delicioso é o fecho do seu post, para ser lido em anos futuros…afinal se não houvesse muitos outros motivos, poderia se perguntar, after all, isn’t that what a blog is for?
    Muito lindo esse post! Delicioso, reflexivo e literário!
    Ueba!
    Beijos

deixe um comentário

o passado não condena