mas o pulso ainda pulsa

*

A vida sobeja e abunda, criativa e energética, mas aqui as palavras estão usando máscara de oxigênio, saem empurradas, puxadas, se locomovem apoiadas em bengalas, muletas. A sensação é de paralisia, esclerose, derrame. O mundo escreve, são todos malabaristas da informação, proprietários da opinião, investidores da história. Mas aqui percebe-se apenas os arquejos de uma respiração fraca e ofegante.

  • Share on:
Previous
o habilidoso
Next
Rose Tint My World
  • Assino em cima e em baixo do que todos escreveram sobre esse post. Essa é a Fer que eu conheço e admiro. Inspiradíssima até para falar na falta de inspiração.
    Beijos,

  • Assino embaixo (ou, no caso, em cima) das palavras da Daniela. Blog não deve se tornar obrigação, e essa é uma lição que aprendi com a Claudia Letti, que, assim como eu, raramente atualiza o blog diariamente. Em tempo: você pode até dizer que sua inspiração anda arquejando, mas esse seu post é um dos mais belos que já li no Chatterbox.

  • Oi Fer!
    Até para falar da falta de inspiração você é inspirada! 🙂
    Eu já disse que você escreve muito bem? Pois bem, você escreve muito!
    Não se sinta abrigada a escrever. Escrever em um blog deve ser exercício prazeroso. Mas saiba que quando você escreve, o dia de muita gente fica melhor.
    Bjao =)

  • Vc já não foi pra Londres? Eu acho que li aqui qd vc foi… Eu tô indo pra lá mês que vem e queria ler seus posts… Pegar as dicas… Agora se não foi vc me desculpe pela confusão…

  • Compartilho dos sentimentos descritos, mas jamais seria capaz de reproduzir tanta exatidao e elegancia.
    Ninguem clona a Fer.
    Eu li a coluna do Gravata (que chique, hein), recebi o seu email, andei meio triste e workaholic, mas tamos ai.
    Escrevo mais tarde.
    E volto sempre.
    Beijo.

Deixe uma resposta para cath Cancelar resposta

o passado não condena