na janelinha

*

É uma viagem longa, que já dura anos. Eu viajo na janelinha e vou observando as paisagens passarem corridas. Alguns cenários permanecem por um tempo, chegam até a cansar – uma planície imensa, um rio que acompanha a estrada, uma cidade cheia de casas no horizonte. Uns quilómetros mais a frente tudo muda, outros estilos de casas, outros panoramas, outros rios, montanhas, árvores.
No mundo dos blogs a dinâmica é bem parecida, com as paisagens mudando constantemente. Gente nova aparecendo, gente ficando famosa, gente causando buxixo, gente legal, gente chata [e põe chata aí!], gente bacana, espíritos de porco, engraçados, poéticos, informativos, designs de templates coloridos, simples, sofisticados, fáceis de navegar ou querendo ser diferente. Papo aranha, papo cabeça, papo umbigo, cópias ou originais, simpátios, arrogantes, interessantes, cheios de ar. Um dia a paisagem na janela mostra um blog sendo linkado e citado exaustivamente, um pouco mais pra frente a paisagem já muda, o blog simplesmente desaparece de vista. Um saiu na reportagem do jornal e ganhou fãns e críticos, aquele outro não foi citado na coluna social, o outro morreu ou foi matado, dali a pouco renasceu com outro nome. O blog do jornalista famoso, do músico famoso, do diretor de teatro famoso, da modelo-atriz famosa e as moscas de blog. Os estrangeiros, os poetas, os críticos literários, os matemáticos, as donas-de-casa, os trabalhadores da web, os jornalistas, os engenheiros, os fotógrafos. Tem pra todos. Há blogs e há blogs. Daqui a pouco morrerão muitos, surgirão muitos outros e eu pretendo continuar nesta interessante viagem participando e observando com curiosidade e atençao, e fotografando quando der, desta janelinha privilegiada.

  • Share on:
Previous
dot dot dot
Next
the making of…
  • Ricky, so quem viveu no vilarejo que entende o que eu estou dizendo…. 🙂
    Eu tambem sai naquela reportagem da Revista da Web! tenho ate a revista aqui, que um amigo me enviou. Chique no Urtimooooo! 🙂
    beijao!

  • Chocante este texto, vou até salvá-lo para futura referência.
    Sabe o que me lembra? O início dos blogs lá por meados de 2000-2001, após uma matéria da Flávia Durante na “Revista da Web”, passei a tarde inteira fuçando por aqui e acolá e criei o meu primeiro blog: “Meu Mundinho”. As comunidades eram bem restritas e todos se liam, era realmente um vilarejo que, nos dias de hoje, desandou e se tornou em uma grande metrópole, ou se brincar, diversos vilarejos em todos os países.
    Good old days, aqueles!

Deixe uma resposta para Fer Cancelar resposta

o passado não condena