realidade besta

*

Estamos chegando ao fundo do poço das idéias para essas porcarias de programas de tevê chamados de reality shows. Cada dia aparece algo mais bizarro. Eu pensava que já tinha visto o pior, com Surreal Life, Strange Love e Chasing Farrah, mas ainda consegui me surpreender. Como se ter uma câmera seguindo a demente Farrah Fawcett não bastasse, precisamos de uma câmera seguindo o demente Bobby Brown, em Being Bobby Brown. E outra câmera seguindo duas peruas ricas, mãe e filha, cujo principal objetivo na vida é achar um otário que as sustente, em Gastineau Girls. E outra câmera seguindo uma família de novos ricos cafonas em Growing Up Gotti. Sério, a situação está constrangedora………
Mas o reality show mais deprimente que eu vi até agora, superando de longe até Surreal Life, foi Kept, onde a ex-modelo, ex-senhora Jagger e ex-texana, Jerry Hall procura entre um grupo de rapazes toscos, sem cultura, sem boas maneiras e mal ajambrados, um kept man [tradução: manteúdo?]. Os caras são simplesmente uns boçais, com exceção de dois – um loiro e um mulato – que parecem ter um pouco de cérebro. Os nomes dos gajos variam de Maurizio, a Slavco e Ricardo… Jesus, give me a break, será que esses nomes são verdadeiros ou nomes de guerra? E a Jerry Hall está perfeita como a dona do bordel. Pelo andar da carrugem já estamos em plena derrocada intelectual, rumando para o inevitável declinio do império da tevê norte-americana.

  • Share on:
Previous
The Jane Austen Book Club
Next
jueves
  • Só mais estas.
    1.Você posta sempre no mesmo horário? Qual?
    2.Existe algum ritual para o momento do blog?
    3.Qual a sua relação com o seu computador? Ele é uma extensão sua, um objeto de estimação, ou não?

  • Fer, quando a gente pensa que a coisa é o fundo do poço, aparece outra pessoa baixando ainda mais o nível. Não sei o que é pior, a rede de TV que produz um programa desses, ou a hasbeen infeliz que se submete a tamanho ridículo. A Jerry Hall, que parecia tão chique, agora tem que apelar para gigolôs? Em rede nacional? É ainda uma propagação do preconceito que a mulher mais velha não tem direito ao amor.

  • Olá, Fernanda.
    Sou mestranda em Literatura Brasileira na Puc-RJ e estou escrevendo uma monografia sobre blogs.
    Você poderia me responder algumas perguntas?
    Aguardo ansiosa.
    Obrigada,
    Myrtes.
    1. Você já teve um diário no papel antes de criar um na Internet? Ainda o mantém paralelamente?
    2. Você tem mais de um blog? (Por quê?)
    3. Quando e por que você teve a idéia de fazer um diário na internet?
    4. Quais as vantagens e desvantagens de ter um blog?
    5. Você mantém o anonimato através de um pseudônimo?
    6. É possível manter a intimidade, o segredo e a privacidade na rede?
    7. Surgiu uma nova linguagem por causa dos blogs?
    8. Você elabora a sua mensagem ou deixa o seu pensamento fluir automaticamente?
    9. Você se obriga a atualizar seu blog todo dia? Por quê?
    10. O que muda para você o fato de saber que está sendo lido?
    11. Você guarda o que escreveu no disquete, no disco rígido ou imprimindo?
    12. Você relê o seu blog? Com que freqüência?
    13. Você considera seu blog pessoal ou informativo/jornalístico?
    14. Você lê outros blogs?

Deixe uma resposta para Leila Cancelar resposta

o passado não condena