quadros e paredes

*

Minha casa ainda tem paredes virgens, paredes brancas, paredes limpas. Eu olho revistas, tento me inspirar, mas ainda não consegui o feito de decorar as muitas e muitas paredes desta casa. Sem falar que eu sinto um certo receio de pregar pregos, fazer furos. E pra pendurar o quê?
Mas a situação não é tão terrível quanto eu penso, pois já tenho algumas coisas penduradas: um quadro lindo e original, presente de uma amiga pintora, pendurado com tachinhas e sem moldura na parede da cozinha, outro quadro, que foi um achado, de preço, moldura e cores, pedurado em cima da lareira, algumas fotos p&b do meu pai e do Robert Doisneau na sala de tevê, vários quadrinhos com aquarelas de Veneza e quadrinhos com reproduções de pintores espanhóis que meus pais me deram de presente pendurados no corredor e no quarto de hóspedes, além de preciosos desenhos do meu filho Gabriel que ficam enfeitando uma parede do meu quarto.
Mesmo assim, a casa insiste em parecer nua. Então hoje saí numa missão de encontrar quadros para vestir algumas paredes. Consegui colorir um pouco a sala de jantar e até estou com um quadro extra, que não sei onde pôr, pois além do receio de pregar prego e fazer um buracão medonho, ainda tem o problema da indecisão. Imaginem uma libriana tentando equilibrar tudo harmoniosamente, nada pode ficar fora do lugar, nem torto, nem descombinando. É uma verdadeira tortura, pois o meu desajeitamento colide de frente com a minha librianice e tudo vira um martírio… Pregar pregos na parede não é fácil. Agora só falta o Ursão olhar e falar que não gostou de nada…

  • Share on:
Previous
tudo azul
Next
Bzpzpz
  • Lu, as librianas SOFREM! 🙂
    Maria Rita, eu tenho que ir aos pouquinhos, por questoes financeiras. mas devagar que eh bom, neh? 🙂
    Liliane, eh verdade. qto mais coisas, mas poeira acumulada… Eu nao escuto os palpites do meu marido, porque ele nao tem o menor senso estetico.
    BeijoS!

  • Oi,
    A Librianisse é triste. A minha casa aos pouquinhos vai ganhando cor, já a decoração , vai demorar mais um pouquinho. Mas bom mesmo ir aos pouquinhos como vc me escreveu um dia, e hoje eu até que gostaria de ter mais paredes para planejar a decoração.
    beijo

  • Oi Fer, as paredes do meu apto tem raros quadros. Nem ligo muito pra isso. E tb penso na poeira que se acumula. Mas um quadro torto é chato demais. meu marido, qdo vivo, gostava de opinar. E eu gostava das opiniões.
    Beijo, Liliane

  • Fe, uma vez li num livro de astrologia (acho que já contei isso): a libriana chega em sua casa e vai ajeitando os quadros tortos. Não ligue. É que ela não aguenta mesmo. risos
    Eu faço isso! hahaha
    beijos

  • Ana, ha ha ha, imagino um paredao com um quadrinho!! Tem gente que tem jeito, ate pra misturar estilos, neh?
    Leila, ele viu e gostou! Felizmente o Uriel nao apita nada nas coisas de decoracao. as vezes ele ate palpita, mas eh tudo tao sem um pingo de senso estetico que eu nem levo em conta.. 🙂
    Dani, minhas fotos precisam ser imprimidas… ai, digital eh pratica, mas tem esse porem, neh?
    Flavia, sempre que vou a Ikea compro algo la na parte de quadros. As molduras sao praticas.
    Beijao!!

  • A Ikea tem bons “penduradores de quadros”, ie, suportes, preguinhos, e tudo facinho de usar. Isso ajuda em parte do problema, não? 🙂
    A gente comprou uns posters de arte abstrata e mandou enquadrar… ficou bacana, mas nosso apto é pequeno!
    Beijos

  • Espero que Uriel goste, sim.
    Eu implico com o Peter, porque ele quer sempre colocar quadros preto-e-branco. E outro dia ele pregou um negócio horrível na cozinha, sem me consultar. Fiquei tiririca.

  • Discutí isso em casa esse final de semana… A casa é enorme e as paredes, quando não estão “limpas”, tem algum quadro horroroso enfeitando. Horroroso para uma parede de 5 metros com um quadrinho de 30cm x 30 cm no meio, perdido.
    Já meu tio pendura tudo oq acha pela frente, e a casa fica uma misturança só.
    Sabe, é mesmo complicado enfeitar as paredes com equilíbrio…
    beijo!

Deixe uma resposta para Liliane Cancelar resposta

o passado não condena