eu poderia estar comprando…

*

Eu tenho um sério problema com relação à gastar meu dinheirinho com roupas caras. Para sapatos, eu advogo em favor de um bom investimento em pares de qualidade, confortáveis, e que não deixem os pés bolhudos, craquelentos, chulezentos ou em carne-viva. Se bem que muitas vezes sou surpreendida pelo conforto de uma sapatilha de seis e noventa e nove da Target. Mas com roupas eu sou mais turrona. Ninguém ainda conseguiu me convencer que as roupas compradas em lojas caras, no estilo e cores da estação, são melhores do que as que eu compro baratotalzissimas nos outlets, liquidas e pontas de estoque. Elas têm etiquetas com nomes e marcas famosas, e tanta qualidade quanto as roupas de qualquer outra loja regular. Só que custam um quinto do preço. Pra mim isso dá uma certa tranquilidade, pois se eu certamente e fatalmente espirrar molho de macarrão, pingar caldo de laranja, ou enroscar na maçaneta da porta e fazer um rasgo na minha roupitcha de alguns poucos dólares, não vou me descabelar nem um fio.

  • Share on:
Previous
TGFS – um passeio de índio na hora do almoço
Next
Sal a gosto
  • olha, já somos duas. invisto em óculos escuros e mais nada. e é pq uso lentes de contacto e os óculos com lentes más fazem me dores de cabeça. bjs

  • O que me convence a pagar mais caro por uma roupa é qualidade do corte. Vestir uma saia, calça, blusa que caiam bem, pra mim, não tem preço. Tenho uma amiga que fala maravilhas das pechinchas na Rua Teresa, em Petrópolis. Mas até hoje tudo o que comprei ali fica largo, faz defeito no ombro, na cintura. Então eu pago o preço carésimo da Forum e saio da loja com um jeans que veste como uma luva no meu corpo. Vai ver é a minha conjunção Lua-Vênus na quinta casa que me faz gastadeira porém apaziguada. 🙂

  • Fer…
    V. tem toda razão. Já passei longas horas na Target ou melhor ainda na Ross, e quanta coisa maravilhosa, por realmente um quinto do preço, sem serem nem imitações e nem “similares” como tem sido a classificação aqui em S. Paulo. E como v. diz, muito tranquilas de serem usadas…sem complexo de culpa de milhões gastos nos luxuosos alugueis que as grandes lojas pagam…
    Parabens….
    Sibila

  • É verdade Fer! O problema é que aqui no BR liquidação, muitas vezes, é só “pra inglês ver”. Aquelas do tipo: de R$300 por R$150 reais. Continuo não podendo (nem querendo) comprar. Além do mais, é difícil encontrarmos bons brechós, com coisas de qualidade e em bom preço (como por aí). Pelo menos aqui no Sul. Infelizmente. De qualquer forma, sempre tem aquelas lojinhas que ninguém dá nada, mas que guardam várias coisinhas legais, boas e mais baratinhas do que butiques de shopping! Beijocas!

  • Assino embaixo, Fer. E como eu nem sequer tenho uma lojinha dessas baratinhas poraqui, nao compro roupa. Hhahahaha pareço mais uma flagelada da seca. So compro roura quando é necessario mesmo. Se eu tivesse uma lojinha baratinha como essas que você tem ai, até que teria mais prazer em fazer compras desse tipo.

  • É isso aí, Fer. Roupa legal não é sinônimo de roupa cara. O negócio é saber escolher. Por aqui eu encasquetei de comprar roupa da Gap na fase da liquidação. Tem umas coisas bacaninhas e baratézimas. Mas maridon me disse que a Gap é conhecida por explorar descaradamente mão de obra de outros países. Agora embatuquei. Fico olhando minhas camisetas ótimas, minha saia incrível e me sentindo culpada. Que droga!

Deixe uma resposta para Elisa Cancelar resposta

o passado não condena