Não vira, se revira

*

Uma coisa que me irrita profundamente é, quando expressamos nossas opiniões, ouvir de algum brasileiro a frase clichê- ah, você já virou americano! Quer uma boa resposta? Ninguém vira nacionalidades, como se vira religioso ou partidário político. Porque pra virar americano teríamos que primeiro morrer e depois renascer, torcendo pra não acabar errando o país-alvo e reencarnar como um panda lá na China.

  • Share on:
Previous
Minhas dez camisas brancas
Next
vamú de retro!
  • Continuando esse assunto para desfazer mal entendidos, eu contei apenas um caso PARTICULAR e não discordei da sua linha de pensamento, Fer, apenas dei continuidade comentando o saco que é aturar o outro lado da moeda também, observando uma brasileira, como a tal da ex-vizinha, pegando grandes e pequeninos detalhes de uma outra cultura e desencanando totalmente de tudo o que se faz referência ao Brasil, inclusive na politica, economia, etc, etc… Como a Ingrid disse, tem neguinho sim querendo se passar por americano e talvez isso seja complexo de inferioridade como ela mesma concluiu.

  • He-he!
    Uma coisa que ME irrita profundamente e uma janelinha do meu Messenger abrir num momento inoportuno perguntando como e que se diz alguma coisa em ingles…

  • HA HA HA ! Tem gente que diz isso em relação a coisas do tipo falar a língua. Se você se integra (mesmo que minimamente) o povo já começa a encher o saco. Comigo isso acontece quando brasileiros querem fazer reuniões e festinhas e churrascos. Eu tenho horror de programinha de casal, com brasileiro, com quebequense ou com chinês e pra me juntar com brasileiro tem que ser gente que eu gosto muito, coisa difícil aqui onde eu estou porque tem pouca gente… Sem contar com aquele povinho que acabou de descer do avião e vem querer ensinar como é a vida no Canadá, no Québec, ai me poupe ! Beijocas.

  • kkkkkkkkkkkkkkk
    Você é ótima, Fer. Na realidade, acho que os brasileiros do clichezão fazem isso por simples falta de argumento. É mais fácil, né? Pelo menos quando não encontram uma Fezoca pela frente 😉
    Estava com saudades daqui. E como disse aquele dia, não deixaria de passar por aqui assim que cruzasse com uma lan house pela frente. Continuo curtindo minhas férias na casa de mamãe: o que tenho comido de coisihas que só as mães sabem fazer renderia um post no “Chucrute com salsicha”. Depois te conto, com mais tempo.
    Beijo.

  • Ih, Fer, eu destesto isso também. Claro que a gente muda quando mora em outro pais e graças a Deus ! Longe de mim esse povo queq mora no exterior e que passa a vida criticando o pais onde vive, como se no Brasil so houvesse alegria. Nao suporto isso.

  • Fer, concordo com você que ninguém vira outra nacionalidade. Mas que tem neguinho que quer se passar por americano, ai tem.
    Talvez um pouco daquele sentimento de inferioridade.
    Bobagem Geral!!!!!!!
    beijos

  • Solange, o que voce listou como habitos americanos sao generalidades que gente do mundo todo faz. Sinceramente, qualquer coisa eh melhor do que brasileiro chatonildo que vem morar aqui por livre e espontanea vontade – ninguem vem amarrado, muito pelo contrario – e depois passa os anos falando mal do pais, criticando tudo, enaltecendo a patria amada [abandonada], sonhando em voltar [com grana da aposentadoria em dolar], e tratando os brasileiros que se adaptam e ponto final como traidores. Nao largam o osso da vida boa daqui, mas nao param de reclamar. A-bo-mi-no isso!

  • Fer, essa frase e muito ridicula mesmo. Ate porque normalmente as pessoas falam isso pelas coisas mais idiotas. Eu dirijo um carro automatico e tenho que ouvir que “virei americana”!!! Fala serio. Entao eu sou obrigada a escolher um carro manual so pra ser do mesmo jeito que era no Brasil? E ninguem leva em consideracao que no Brasil nao se tem carro automatico porque nao tem disponivel (so nos carros de luxo). Esse e um exemplo bobo, tem tantos…
    O que foi que voce disse que mereceu essa frase ridicula?
    Solange, comida apimentada eu ja comia desde que morava em Sao Paulo, agora nos EUA como mais porque tem mais opcoes. E ensinar ingles pro marido nao e tarefa facil nao!!!!! Eu bem sei, sempre reclamo com o meu marido da falta de vontade que ele tem pra aprender portugues, a desculpa dele e que ele so e bom em matematica, essa parte de linguas ele e ruim.
    Esse comentario ja virou um monstro…

  • Oi Fer! Apesar de todos esses anos morando aqui, você realmente não “virou americana”! Falo isso de olhos fechados.
    Olha, mas fiquei besta quando conheci a minha ex-vizinha brasileira. Em 6 anos que ela mora aqui, ela ficou totalmente americana. Pra você ter idéia, o sotaque dela em ingles é de alguém que nasceu aqui; se ela não tivesse falado comigo em português, eu nunca ia imaginar que ela era brasileira. Os hábitos dela são 101% “americanos” (não cozinha e só come fora, não liga pra casa bagunçada, adora uma dívida, guarda TUDO no storage e não joga fora nada, adora comida apimentada, etc, etc, etc); nos 5 anos de casamento, ela não conseguiu ensinar nem o marido e nem o filho de 2 anos e meio a falar uma só palavra em português, pois segundo a distinta, falar em português se tornou algo difícil. No caso dela que acompanhei de perto, posso dizer que virou americana mesmo. E por opção.
    Beijo grande

Deixe uma resposta para Ana Lucia Cancelar resposta

o passado não condena