*sou a Miranda desta casa

*

Fui com meus amigos ver The Devil Wears Prada. Eu estava esperando um final menos Frank Capra, mas não tinha outro jeito. Ela escreveu o livro, então estava mais do que óbvio que tinha cascado fora do mundinho fashion. Sinceramente, acho que não há mais glamour algum, nem quase idealismo nenhum na profissão de jornalista. A massa escreve pra plebe, por isso é que tablóides e revistas de fofoca são tão populares. Paramos numa esquina depois do filme e conversamos sobre carne de laboratório, crueldade com os animais, fome no mundo, a futura provável pandemia da gripe aviária [freak out total!], the Big One, An Inconvenient Truth, Al Gore, Nike na China, sweatshops, Banco do Brasil, Natura, jornalistas assassinando a gramática, advogados escrevendo em grego, e até Michael Moore. Não pegamos realmente o espirito da coisa – The devil honey, wears Prada darling, why is it so hard to understand?*

  • Share on:
Previous
The Waldorf
Next
hábito de verão

Deixe uma resposta para Claudia Medeiros Cancelar resposta

o passado não condena