The best day is today

*

Tanto que ele se mostrou blasé, que acabei incorporando a sua maneira desconsiderativa de encarar datas e esqueci do aniversário. Culpa dele, que não liga. Mas eu acordo tão passada, não sei que dia do mês ou semana estamos. Muitas vezes nem lembro quem eu sou, onde estou, qual o propósito da minha vida e da minha presença neste planeta.
Caminhando, tomando banho, meditando na privada, são momentos propícios para se ter idéias, achar soluções, bolar planos, ter as estruturas abaladas por uma epifania. O que me faz pensar que não há melhor hora que esta, agora. Nunca mais vou ter essa idade, nem esse cabelo despenteado dessa exata maneira, nem os pés assim apoiados com essa leveza neste mesmo chão, iluminado por precisamente este raio de sol, neste momento em que pensei que nunca mais voltará e já se foi.

  • Share on:
Previous
bem feito!
Next
verde

Deixe uma resposta para Véia Cancelar resposta

o passado não condena