i’m a sac of potatoes

*

Todo final de qualquer estação vai dando um entojo. Estou nesse ponto com o verão. Especialmente quando os lindos dias se transformam em forno e não se consegue dar uma caminhada no meio da tarde ou jantar na mesa do quintal. O trem começa a dar nos nervos, os caminhões no estacionamento do shopping center também e ainda soma-se um cachorro latindo para que eu deseje que o outono chegue rápido para que eu possa simplesmente fechar as janelas e ter paz.
Me vestir num dia tórrido de final de verão é outro suplício, pois não importa quantas roupetchas semi-novas e bacanas eu possua, vou me vestir como um sacão de batatas, tudo largo, tudo confortável, porque eu não consigo suportar nenhuma roupa nesses dias. Tenho sorte de trabalhar num ambiente informal e poder me vestir à vontade, com bermudão de surfista e chinelo de dedo. Num dia como hoje, que vai chegar novamente aos 40ºC, eu estou como um saco de pistacho importado do oriente médio, com uma túnica largona bordada até o joelho, uma calça largona de amarrar por baixo e chinelão.
Mais dois dias e começa o mês de setembro. Eu sei que não vamos encerrar o verão assim tão rapidinho, mas saindo de agosto já me dá um ânimo, porque penso que o pior já passou. Será?

  • Share on:
Previous
e não é?
Next
também quero saber
  • Oi Fernanda!
    Cheguei aqui pelo Chucrute com Salsicha e lá, pelo link no blog da minha filha Rita.Gostei muito e vou voltar com frequência.
    Aqui é o frio que não quer ir embora! Gosto de inverno pra comer pinhão, acender o fogo, tomar chocolate quente. Mas cansou!

  • Esse verao ja’ deu o que tinha que dar! Estou pronta para dias mais fresquinhos tambem, embora meu guarda-roupa ainda precise de uma renovacao para o outono.

Deixe uma resposta para beti Cancelar resposta

o passado não condena