um glamour desnecessário

*

O pior tortura que você pode infligir a si mesma é abrir uma revista Glamour na sala de espera do seu médico ginecologista, numa segunda-feira miserável, quando seus olhos estão ardendo e com olheiras por causa da mudança de horário e você está se sentindo uma palhaça de circo vestindo seus tamancos de jardim porque outro sapato qualquer vai machucar seu dedão enfaixado e está frio pra usar sandálias, e você está descabelada e desgostosa, vislumbrando a perspectiva de uma operação, que se concretiza no diagnóstico do médico, que diz sem a menor cerimônia que vai te dar um remédio que vai te causar mil e dois efeitos colaterais barbarizantes. Um conselho portanto, pra quando você estiver com seu sapatão de plástico, ostentando olheiras e cansaço, digerindo o diagnóstico fatalista de um futuro sem o seu útero, com um cabelo despenteado e cara de bunda de segunda-feira, por caridade, faça um favor pra si mesma e NÃO abra aquela perfumada, cheia de mulheres perfeitas, sofisticada, bem resolvida e maldita revista Glamour.

  • Share on:
Previous
a-tcho-oo!
Next
espelho meu, espelho nosso
  • hehe, adorei o texto. muito bem escrito, as usual.
    quanto à cirugia, já pediu uma segunda opinião? um outro médico pode enxergar a situação de maneira diversa.
    de qualquer maneira, boa sorte. 🙂

  • Passo por aqui muitas vezes, identifico-me com tantas coisas que escreve e partilho a sua exasperação quando a vida nos apresenta cenários menos glamorous do que a Glamorous!
    Força, se a vida nos dá limões, façamos limonada !daquilo que conheço através do blog, acho que você é capaz de dar a volta por cima ! Que tudo corra pelo melhor !

  • Fernanda,
    Como tantos outros anônimos acompanho o seu dia-a-dia. Fico me esbaldando com suas palavras: girico, zureta, dentre outras que eu também uso. Será que é porque você tb morou em Campinas ?
    Há 2 anos tirei o útero, por um processo não muito invasivo. A cirurgia foi muito tranquila e sinto-me muito aliviada dos desconfortos inerentes a ter útero. Não tive nenhuma sequela emocional, só benefícos de bem-estar.
    Espero sucesso pra vc, se tiver mesmo que fazer a cirugia.

  • Como sempre, um texto muito bem escrito! Concordo plenamente com a Leila, façam revistas para mulheres reais, para a maioria da população feminina!
    E quanto à sua saúde, as melhoras para o seu dedão. Cuide bem dele (experiência de técnica de diagnóstico e terapêutica!) e vá dando notícias por causa do seu útero. Se for operada, sei que irá correr tudo bem =)
    bjs e boa semana!

  • Não sei o que é pior, as mulheres “perfeitas”, as roupas que custam no mínimo 1000 dólares, ou as dicas de “como conquistar seu homem”. Podiam inventar uma revista feminina onde a gente se reconhecesse mais, não é? Mesmo as revistas para mulheres mais velhas (ex: More) só mostram pessoas lindas, elegantérrimas, bem sucedidas…

Deixe uma resposta para Leila Cancelar resposta

o passado não condena