quarenta anos em quatrocentas páginas

*

Queria poder escrever mais sobre a minha vida aqui pra poder ter informação consignada, como arquivo da minha história e dos detalhes que vou certamente esquecer. Pelo menos os últimos onze anos das nossas vidas estão razoavelmente registrados em correspondência por e-mail e fotos digitais guardadas numa caixinha preta e cinza chamada external drive. É bastante informação, embora desorganizada e sem uma ordem cronológica.
Julia Child já tinha 90 anos quando escreveu um livro de memórias, com a ajuda de seu sobrinho-neto. Nele ela detalhou com tanta minúcia coisas que tinha vivenciado aos 40 anos, que eu concluí que ela e o marido Paul tomavam nota de tudo, escreviam diários, cartas, tiravam muitas fotos e guardaram com cuidado todas essas relíquias por muitos anos. Com certeza todo esse registro facilitou na hora de colocar uma vida resumida num livro.
Apesar de não ser nenhuma Julia, nem estar planejando escrever nenhum livro, tenho pensado nesse lance do registro, especialmente agora, nessa etapa de vida quando tudo tem estado particularmente borbulhante. Meu desejo de registrar minha vida é consistente. Estou exatamente na idade em que as coisas começaram a acontecer para a Julia Child. Muita gente diz que ela começou tudo muito tarde, mas se começar tarde implica ter uma vida tão magnífica como a dela, estou pronta para a inauguração da minha!

  • Share on:
Previous
gato adora sol
Next
no final, um ponto
  • Martha Stewart tb comecou tarde..mas que a idade eh cheia de chatices, isso eh.
    Ah..to saudosa.:)) Que bom:))
    Beijos amiga
    Bri

  • Hooray, Fer!
    Essas historias bacanas que “comecam tarde” eu gosto muito. A nossa cultura valoriza demais a juventude e da’ ‘as pessoas a impressao de que depois dos 40, se voce nao conseguiu o que queria, ja’ era. Adoro ver quando as pessoas provam o contrario!!!

Deixe uma resposta para Leila Cancelar resposta

o passado não condena