um desastre sem precedentes

*

Coloquei a massa da pizza para dar uma pré-assada ligeira e peguei o ônibus espacial para Saturno. Quando regressei à Terra, a massa tinha torrado muito mais que o grau regulamentado pelo FDA. Removi a placa amarronzada da forma e coloquei em cima da pia, já quase dando tudo como perdido. But I ain’t no quitter, no sir! Olhei bem dos dois lados da arga-massa e vi que o centro ainda estava com uma cor razoável, achei que dava pra salvar. Quebrei as partes periféricas e sobrou um centro arrendondado, que emplastei com molho de tomate e salpiquei com bastante queijo mussarela. Coloquei por dois minutos no microondas só pra derreter o queijo e não comprometer a massa. Daí levei ao forno e liguei o broiler, só para dar aquela cara bronzeada para o queijo. Quando abri o forno, três minutos depois, a pizza estava pegando fogo—sim, em chamas! Foi uma correria histérica pra retirar e apagar a forma crepitando em labaredas. Fumacê, gritaria, abalo emocional, frustração.
E agora, melhor ninguém fazer perguntas, tá? Circulando, circulando! Ninguém viu nada, não aconteceu NADA, capito?
&raquo:outro texto forte importado de lá, só pra encher linguiça por aqui.

  • Share on:
Previous
foi o esquilo que me encarou
Next
lavanda & aveia
  • pois prá mim aconteceu semelhante coisa hoje mesmo, agorinha há pouco! af!
    coloquei o óleo prá esquentar, prá fritar um bife recheado e vim aqui prá dentro. sei lá fazer o quê, que nem lembro mais. :^( qdo volto, a panela fumegando, fumegando! desliguei ligeiro, mas, não sei como, o óleo pegou fogo! labaredas altíssimas e eu apavorada. tampei a panela e já ia pegando pelo cabo quando, bum!, labaredas de novo! meu Deus! pânico total! eu sozinha em casa, me lembrei que a Nah me mandara, outro dia, um mail explicando como fazer prá apagar fogo no óleo, porque, claro, não é possível jogar água, right? então! liguei prá Nah! não me atendia… liguei de novo, nada! consegui pegar a panela e coloquei no chão, nas lajotas, esperando que o choque térmico a fizesse esfriar, nada! daqui a pouco, bum!, de novo! labaredas! meu Deus, meu Deus! ia vindo aqui ver o tal mail, e eis que a Nah, então me liga, e vai me ajudando por tel mesmo. disse prá eu colocar um pano de prato bem molhado, porém torcido, em cima da frigideira! abri Todas as janelas do apartamento, Todas! as portas da sacada! liguei exaustor! uma fumaça tóxica, forte, eu tossindo. isso que era óleo de girassol! :^( mas aí, devagarinho, a fumaça foi se dissipando e a panela esfriando. me acalmei, desliguei. passou uns minutos a Nah me liga de novo… “daí, melhorou?” e eu… “sim, sim, tudo certo agora, ainda bem!” daí ela… “tá, então agora vai lá ver se não estragou a lajota”… putz grila, era só o que me faltava! mas não, graças a Deus, a lajota esta intacta! oh, well! é nessas horas que eu juro que nunca mais entro na cozinha. sou muito distraída prá esse tipo de serviço! :^( bjus, Fer, prá ti, o agradabilíssimo Roux e o bacanérrimo Misty! ótima quarta prá todos aí!

  • AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH
    FER ESSA FOI BOA!!! (E EU TAVA MESMO PRECISANDO DAR UMA BELA DUMA RISADA HOJE)! ;D
    Eu também tenho mania de fazer isso na cozinha, salvar o insalvável! Eita que isso dá uma réiva neh? 😉

  • parecendo meu marido que foi dar uma cozinhadinha numas bananas e, agora, passadas já umas 2 semanas, nada nem ninguém consegue tirar o fedor que tomou conta do microondas depois que, passados as sei lá quantas dezenas de minutos que ele programou, alguém percebeu que a cozinha estava imersa em fumaça e o pote (de louça) com as bananas , irremediavelmente perdido, impossível de ser lavado…

Deixe uma resposta para Yedita/Lu Cancelar resposta

o passado não condena