Amigo, mantenha-se sempre visível

*

Com o final do ano se aprochegando, começam a pipocar aquelas famosas brincadeiras de amigo invisível ou secreto ou oculto. Pra mim esse troço de sortear alguém para te dar um presente secreto é sinônimo de furada. Nunca—e quando digo nunca, é NUNCA mesmo—participei de uma dessas brincadeiras onde eu não tenha acabado com uma cara de tacho e com muita raiva. Sempre ganhei presente lixo. E olha que participei dessa lorota muitas vezes em diversas fases da minha vida e com diferentes grupos. Nunca dei sorte. Então concluí que aquilo não era pra mim e decidi cascar fora forevis. Infelizmente, ainda tive uma última péssima experiencia. Numa evidente recaída fui convencida a participar mais uma vez e entrei de gaiata, recebendo finalmente a lição que precisava e merecia. Pois errar uma vez é humano, duas vezes é até perdoável, mas mais do que isso é assinar o atestado de burrice. E eu assinei. Preparei uma caixa com material de pintura e outras mil coisas legais, pensando na alegria da amiga ao receber o presente e enviei pelo correio, Califórnia—Brasil. Recebi o meu presente por e-mail. Um POEMA feito com as letras do meu nome. Nem preciso dizer que chorei, né? De raiva. E aprendi a lição que a vida me ensinou. Hoje fujo correndo desse negócio. Amigo, se quiser me presentear, fique a vontade. Mas não quero nem espero nenhuma surpresa. E pra quem vier com o argumento que o que vale a intenção, que não é pelo presente material, que o legal é a brincadeira, só tenho uma coisa pra dizer: não sei o que é pior, ser hipócrita ou ser otário.

  • Share on:
Previous
diga-me com quem se pareces
Next
de outono
  • Oi,estava eu vagando pelas ruas da internet e lembrei de uma rua que fez parte de minha vida,(Rua Pe.Vieira) e muito ao acaso fez parte da sua tambem.
    Quando voce deixou a Raposa Vermelha, foi eu quem trabalhou la por um periodo de 8 meses.
    Realmente e da mesma forma, tambem mudou minha vida.Principalmente na epoca de minha juventude.
    Não sei se lembra de mim.Mas lembrei de voce.
    Hoje sou consultor de T.I.E toco na noite (blues,classic rock e mpb)herança da Raposa.
    Ainda vejo ao acaso a Yeda, o Laerte somente.outros…nao mais, pena.!
    Bom saber que fez historia esse local e fez parte da sua vida
    Abraços e Sucesso.
    Paulo

  • Também não participo mais desse tipo de coisa, depois de 2 traumas um na infancia, onde ganhei um sabonete (será que eu fedia nessa época?) e em em outro onde me empenhei em comprar algo que o amigo secreto gostaria e acabei ganhando uma fita cassete com musicas gravadas do rádio….Depois disso fujo como o diabo da cruz…

  • Nega, me lembro ainda dessa sua desventura. SÓ POR DEUS NEH? Foi MUITA cara-de-pau da criatura…. que na festelha ainda CHOROU lendo o poema que escreveu pra ti AHAHAHAHAHAH Desculpa, mas seria mesmo CÔMICO, se não fosse TRÁGICO :)))

  • Ai Fer, não acredito que alguém teve coragem de te mandar um poema por e-mail como presente de amigo secreto!
    Eu geralmente passo raiva também, e por isso evito ao máximo participar da brincadeira. Quer ver me irritar é me dar uma peça de gesso empoeirada ou um paninho de louça.. Sinceramente não consigo acreditar que presente assim é dado com boas intenções 😉

  • Caciiilda….o povo chuta o pau da barraca, né? Lembro da minha mãe indignada porque um dos meus irmãos ganhou de amigo secreto na escola alguma coisa com cara de “catei de casa pra dar de presente”. E era escola de rico, hein. A gente era remediado, estudando com bolsa.
    Eu acho o ó também aquilo de colocar lista com o q cada um quer ganhar. Acho escroto. Então não faz, uai.
    Ultimamente só participo daqueles de chocolate, com aluno. E pronto.

Deixe uma resposta para LuiZ FernandoS Cancelar resposta

o passado não condena