certainly—certainly

*
certainlyM.gif certainlyM.gif

Saio atrasada de casa regularmente de manhã pelo motivo de ficar trocando de roupa como se estivesse me arrumando pra ir ao baile da realeza. Como se fosse fazer diferença pra alguém [mas faz muita diferença pra mim, alright].
Vi o filme Tom & Viv e fiquei chocada com a história da Vivienne Eliot, a primeira mulher do poeta T. S. Eliot, que passou anos internada e tida como louca por causa de problemas hormonais. Quantas vidas foram desperdiçadas. Mas como felizmente já estamos em outro século, minha médica proclama em modo super assertivo—stop blaming everything on the hormones!
Dirigindo pela estradinha da roça no meu caminho pro trabalho, passei por cima de centenas de corpos de mulheres nuas. Alguém despejou uma coleção de revista de mulher pelada na encruzilhada. E pelo que consegui ver, pareciam ser daquelas da pior qualidade. Teorias sobre os motivos daquilo abundam.
Minha mãe sobre a experiência dela de trinta anos com filho morando em outro país—é muito dificil, é muito dificil. #eeulogosaberei
Na zumba tem um grupinho de meninas que fica sempre no fundão e só falam espanhol entre elas. Uma delas veste umas camisetas bem legais. Uma tinha um grupo de mexicanos desenhado nas costas e na frente escrito––Mexican! Not Latino, Not Hispanic. Outra trazia a marca da cerveja Corona. E uma tive até que ir elogiar, pois era aquela vermelha do Chapolin Colorado––No Contaban Con Mi Astucia!
Uma coisa muito constrangedora é ver gente totalmente bêbada, com aquela cara de mé, em foto publicada em rede social.
Meu marido colocou um ovo cozido inteiro pra esquentar no microondas. E depois me mandou um txt—o ovo explodiu! Nem respondi.

  • Share on:
Previous
driving mrs rosa
Next
[porfavor]
  • Adorei Fer… e devo comentar por partes:
    – Eu sei exatamente o que isso é de se atrasar por causa de roupa, meu marido já nem se afoba porque sabe que até eu chegar ao carro muitos outfits podem acontecer! E é mesmo isso, faz diferença pra mim pq mais ninguém tá minimamente interessado 😐
    – Sua médica está certa, gostei, ao longo dos anos passou-se do 8 para 80…e agora tudo é culpa de disfunção hormonal. Mas muitas vidas foram realmente desperdiçadas, muitos casamentos desfeitos e do último caso que li coincidiu com pós gravidez e consequente desinteresse e abandono do marido…Se der tempo vai lá dar uma lida, o artigo não é nada sobre isso, faz uma menção só sobre essa parte da história, mas achei super interessante, principalmente pois faço parte da estatística do qual o artigo fala 🙂
    “Love & Architecture”:
    http://observatory.designobserver.com/entry.html?entry=11517
    – Rá, o mistério das mulheres peladas!! Hahaha…”Teorias abundam”…
    – Teu filhote vai pra fora?? Que ótimo pra ele…e que peninha de vc Fer. Também vivo longe de meus pais e sei quanto é difícil pra eles, espero conseguir segurar minhas crias bem junto no futuro. 🙂
    – Também quero a camiseta do Chapolin Colorado!
    – Marido fazendo experiências científicas na cozinha é?! Hahahaha…
    Bom, desculpa o testamento, falei pra caramba e tudo meio baralhado…mas foi uma delícia ler seu post hoje e precisava dar meu feedback. Bj 😉
    R: Fernanda, que delicia de comentario, adorei! escreva sempre! vou ler o artigo, muito obrigada. e um beijo 🙂

Deixe uma resposta para Fernanda Cancelar resposta

o passado não condena