whole lotta love

*

No dia 2 de abril de 2011 às 2:59pm coloquei os pés pela primeira vez na minha futura casa em Woodland e de lá tuitei—meu deuso que casa FOFA, da decada de 40, parece saida de um filme!
Precisei remeter às redes sociais para poder recontar exatamente o que aconteceu. Como olhei a casa no website na imobiliária e como depois que entramos nela não conseguimos mais sair. A memória mais forte é a de estar conversando na cozinha com o corretor e o Gabriel e desconectar do papo, dispersa, olhando à minha volta com a sensação de estar num lugar familiar. Quando visitamos a casa pela última vez antes de fazermos a oferta, olhei pro Uriel e disse—essa casa é simplesmente maravilhosa! Concordamos que a casa era para nós.
Então compramos, mudamos e já estamos aqui há quase dois anos. Ainda precisamos fazer um monte de coisinhas, como pintar as paredes por dentro, colocar cortinas nos zilhões de janelas, mas o básico já está bem arrumadinho. Com o Uriel trabalhando no Silicon Valley achei que iriamos passar muitos finais de semana na Bay Area, mas não é isso o que está acontecendo. Porque nos dias de folga do trabalho nós queremos simplemente ficar na casa, sentados no sofá da sala cheia de janelas lendo, ou eu na cozinha e o Uriel cuidando do jardim, o gato pra lá e pra cá no quintal, os passarinhos, as árvores, o silêncio e um resumo dos nossos dias mais tranquilos.

  • Share on:
Previous
quero verde
Next
thanks for the memories

deixe um comentário

o passado não condena