muita gente precisa deles

*

Eu já conhecia o Geek Squad que tem até umas propagandas ridiculinhas na tevê. Hoje vi no jornal que a região de Sacramento tem também os Nerds on Call. Eles salvam a pátria de gente que está sempre com o computador dando problema. Aqui em Davis tem um cara que está listado no Davis Wiki . Ele é um geek do Clube do Linux e se oferece pra fazer qualquer conserto de computador dando pau, sem cobrar nada, de graça! Eu entrei em contato com ele uma vez porque uma amiga estava com um problemão num computador novinho [um PC, craro, né creusa!]. Ele foi na casa dela, achou o problema e arrumou. Foi chamado outras vezes pra desatar um nó cego num laptop. Achei o máximo esse cara fazer isso só porque gosta de fazer, enquanto já tem uma turma tentando capitalizar. Mas muita gente precisa deles. Felizmente eu nunca precisei chamar nenhum nerd ou geek, porque eu tenho um Macintosh, né darlings!

  • Share on:
Previous
na lata
Next
põe no lixo
  • craro! eu comprei uma merda de um pc portátil e dps de me render sem luta ao mac só me quero é desfazer do pc e nem sei bem como… quem quer aquele lixo, pergunto eu… e com o mac pra pagar valha-me deus…
    bjs

  • Pois é… precisei comprar um novo notebook e não resisti ao precinho super em conta da Dell num Inspiron 6000. A máquina me deu a mario canseira até nos entendermos. Tem a tendência de só aceitar periféricos microsoft e qualquer coisa que eu tento baixar ela grita e entra em pane dizendo que estão tentando invadi-la!Tenho pra mim que esses computadores pc a preço de banana são um truque da microsoft pra impedir que a pessoa surfe, pinte e borde na internet. Quanto à maquininha, passamos a nos entender melhor depois que eu descobri um mecanismo interno que simplesmente fecha os programas quando acha que há perigo de virus. E também tinha um cara da Dell que, coincidentemente, ficava ligando aqui em casa exatamente depois de cada pau… vai saber!

  • Quer dizer que o Macintosh é essa Brastemp toda de computador? 😉
    O meu pc atual – um itautec – é uma gracinha, tem se comportado muito bem. Mas o anterior montado por um zé mané ali da esquina … Vivia no conserto. Troquei tudo o que se podia trocar dentro de uma máquina.

  • Fer, sem dúvida é bacana o serviço aí do moço e eu bem que gostaria de alguém que me fizesse de graça esses consertos. Por outro lado, não vejo nada de errado nos outros tentarem “capitalizar”, afinal é um trabalho como outro qualquer, não?
    Um beijo,

Deixe uma resposta para Wagner Cancelar resposta

o passado não condena