como sobreviver à tanta canalhice e pouco caso?

*

Eu paguei meu cookbook club duas vezes sei lá por que. Eles já me contactaram não sei quantas vezes pra dizer que eu tenho um crédito, que devo usá-lo a hora que eu quiser. Detesto ficar comparando coisas assim, mas desta vez não vai ter jeito.
Lembram da saga da Fnac que se iniciou em novembro? Pois ainda não foi resolvida. Pra debitar no meu Visa foi vapt-vupt, pra creditar, só deus sabe quando. Eu escrevo pra tal pessoa que a Gabby batalhou pra conseguir o e-mail, porque no site da Fnac não tem um contato para assistência ao consumidor, e a fulana me responde frases chavões, como “estaremos contactando o nosso departamento financeiro.” Poutaqueoupareu, quatro meses e nada? Vou ter que perder meu tempo e escrever pra Folha de São Paulo, ou outro canal da mídia, pois o descaso é enervante…
Antes de virmos pra Califórnia em 97, o Uriel foi no CREA em Campinas e cancelou a inscrição dele, que meu pai ficou pagando nos anos que estivemos no Canadá, mas que a partir daquele momento não fazia mais sentido continuar pagando, pois ele não exercia e nem iria exercer mais a profissão de engenheiro no Brasil. Oito anos depois chega a carta do CREA, intimando o pagamento de todos esses anos, que já tinha virado uma dívida da União. Como vamos achar aqui o papel do cancelamento? Como vamos provar que ele foi lá pessoalmente e cancelou? O Uriel nem tem tempo. Um amigo nosso e o pai dele, também engenheiros, estavam passando pelo mesmo problema. Deu um pau na base de dados do CREA e – guess what? – vamos cobrar todo mundo, assim fazemos uma grana, êba! E cobraram. Como perdemos o prazo de apelar, morremos com 500 dólares, que é nosso dinheiro suado indo pro bolso dos corruptos. Juro que dei graçasadeus que não pago mais imposto no Brasil, pois iria viver verde de ódio.
Meu irmão foi ao Brasil rapidamente e eu pedi pra ele me comprar dois perfumes da Chamma da Amazônia, no shopping Iguatemy de Campinas. Ele comprou, voltou pra Londres, me enviou os perfumes, que eu paguei pra ele, e quando abri os vidros para usar, os dois pergumes são APENAS ALCÓOL! Não tem perfume nenhum… A Chamma da Amazônia de Campinas vendeu dois frascos cheios de alcóol pro meu irmão. E agora mané? O que eu faço?
Sinceramente, é pra dar uma úlcera.

  • Share on:
Previous
m
Next
por linhas tortas
  • Tem muito canalha, e gente que se acha esperta demais. E a lei do Gerson, Fer.
    F……..A, que vergonha nessas horas ter nascido brasileira, peço desculpas se isso lhe ajudar.
    beijos

  • Nossa Fer,ainda essa novela com a Fnac. Essa eu achei que já tivesse se resolvido, mas agora você tem mais dois pepinos. É vergonhoso, né? Olha, eu sou daquelas que onde vai dá escândalo – quero ver etiquetas de preços nos produtos, olho prazo de validade, se tenho dúvidas, chamo o gerente e sempre consigo o que quero. Acho que o grande problema aqui no Brasil é que as pessoas geralmente não cobram por seus direitos e aí neguinho aproveita mesmo.
    Como eu estou em Campinas, se tiver alguma coisa que eu possa fazer para ajudar, entre em contato. Quanto ao CREA eu não pagava não, cabe a eles provarem o que estão dizendo.
    Beijos e boa sorte!

  • Nossa Fer,ainda essa novela com a Fnac. Essa eu achei que já tivesse se resolvido, mas agora você tem mais dois pepinos. É vergonhoso, né? Olha, eu sou daquelas que onde vai dá escândalo – quero ver etiquetas de preços nos produtos, olho prazo de validade, se tenho dúvidas, chamo o gerente e sempre consigo o que quero. Acho que o grande problema aqui no Brasil é que as pessoas geralmente não cobram por seus direitos e aí neguinho aproveita mesmo.
    Como eu estou em Campinas, se tiver alguma coisa que eu possa fazer para ajudar, entre em contato. Quanto ao CREA eu não pagava não, cabe a eles provarem o que estão dizendo.
    Beijos e boa sorte!

  • Eu vivi uma situação parecida com essa do Uriel do CREA, com uma conta de banco que eu pedi para minha cunhada fechar, com carta assinada, conta zerada, cartão quebrado e tudo. Os juros começaram a correr do nada e eles se recusavam a fechar a conta e euzinha disse que vou presa mas não pago um centavo para esses bancos ladrões. Não existe direito do consumidor no Brasil, hoje em dia esse tipo de coisa me deixa doente, e o pior é que reclamar não adianta muita coisa. Mas enfim, eu te incentivo a fazer a maior propaganda contra essa Fnac no teu blog e enviar para outros sites, eles vão acabar cedendo. Beijocas.

  • Nega, você tinha sentido o cheiro desse perfume em alguém, e era bom? Ou já teve dele antes? Onde é que vendem desse perfume? O nome da loja é Chamma da Amazônia? Só vende em Campinas? Eu posso tentar reclamar por aqui, okay? E a grana do CREA, que ÓDIO…. até em mim doeu!
    Nega, eu tô online agora no MSN, caso você esteja online dá uma chegadinha pra gente charlar un poquito? Besitos, Nega LU

  • Vixe Fer, cada coisa heim?
    Hummm, é de dar úlcera mesmo.
    Essa do perfume eu ainda não havia escutado. Tá parecendo coisa de galeria Pajé, lembra disso?
    Depois de tanta coisa, espero vc recuperar o seu din din do maledito FNAC.
    Beijao

Deixe uma resposta para Maura Cancelar resposta

o passado não condena