déjà vu

*

Depois de tantos anos de batalha e sacrifício, ter a sensação de finalmente ter chegado lá foi muito boa. Felicidade e tranquilidade. Pena que durou pouco e que foi apenas uma ilusão, fruto da minha ingenuidade. Cair na real não foi fácil. Quero acreditar que as próximas quedas, daqui pra frente,  serão menos dolorosas.

 

  • Share on:

i’m no saci!

*

Decidi que essa seria a última semana do meu look saci pererê. Mas aboli a meia de compressão três dias antes. Estou me sentindo bem, mas um pouco insegura. Porque o médico mandou usar a maledeta da meia por três MESES e eu mal consegui usá-la por três semanas. Mas vou tentar usar de vez em quando [cof cof].

Quando removi as ataduras achei que minha perna tinha sido mastigada por um animal selvagem. Sou exageradíssima, mas realmente levei um susto. Aos poucos os cortes vão sumindo, os roxos vão clareando. Mas tenho muitas sensações estranhas na perna e alguns caroços que a enfermeira disse ser normal. Fica registrado aqui, como uma entrada no diário sobre a operação de umas varizes que fiz na perna esquerda. Está tudo bem.

  • Share on:

vinte e quatro verões [ou invernos]

*

Porque começaram as olimpíadas eu lembrei que foi durante os jogos em Barcelona que zarpamos do brasil. Então já são 24 anos!

Eu gosto de marcar datas, mas está ficando cada vez mais angustiante ver os anos avançarem. Não me arrependo de nada, não queria voltar atrás nem mudar nada e não tem outro lugar onde eu queria estar, que não seja aqui mesmo. Mas lembrar de uma partida, mesmo que tão longínqua, não deixa de ser meio melancólico.

Sou uma outra pessoa hoje. Menos inocente, menos esperançosa. Mas não posso nem imaginar como eu estaria, se não tivesse partido.

  • Share on:

libriana

*

Não gostei desse filtro “modinha” e não consegui decidir mais nada.

  • Share on:

walking by

*

Em junho e julho abracei uma nova rotina, fazendo caminhadas às 6 am. Fiz isso por causa do calorão que me impede de caminhar durante o dia e depois do trabalho [tem dias que está quente até 9pm, não dá!]. Nesse período tirei muitas fotos da minha vizinhança—casas e plantas. A maioria das fotos, publicadas no instagram, tinham o título de 6:30am. A luz da manhã é belíssima! Parei com essas caminhadas matinais por causa da minha operação, mas estou sentindo falta e planejando voltar na próxima semana. Caminhar pela vizinhança, respirando o ar fresco da manhã é bom pro corpo, bom pra mente, bom pra alma.

  • Share on:

nada a declarar

*

Nos filmes que assisto, todos os atores já estão mortos. Com exceção da Olivia De Havilland.

A mãe do Ian Fleming na série Fleming: The Man Who Would Be Bond é a cara da minha dentista.

Voltei a trabalhar depois de uns dias de molho e primeira coisa que ouvi foi história da Ogra, que parou na frente do cubo da minha amiga e disse—você não vai elogiar a minha calça nova? Calça nova—uma calça imensa e preta, igual a todas as outras que ela usa, só que num tamanho menor, XXXL ao invés de XXXXXL. Ogra, a mulher-abutre, perdeu peso, tá se achando e quer elogio.

Já eu fui trabalhar vestindo shorts e meia de compressão numa perna só. Fiquei andando pra lá e prá cá o da inteiro e ninguém reparou em nada. Tudo normal com o meu look saci pererê. Isso diz muito sobre o lugar onde eu trabalho.

Teve churrasco de verão na firma. Toda festa fica todo mundo aguardando o que eu vou levar. Desta vez decidi—vou levar um pão. Pensei em fazer salada de batata, mas depois tive um momento foda-se, porque eu ainda tô me recuperando de uma cirurgia e decidi levar apenas pão. Um pão que comprarei no supermercado, logicamente. Se alguém se sentiu decepcionado, devolve a ficha no guichê.

Incrivel que os anos 80 já são vintage! Mas quero mesmo é fazer um picnic vestida com roupas dos anos 40.

  • Share on:

os girassóis

*

Girassóis no campo & lua no céu — numa manhã de junho em Woodland, CA

  • Share on:

B-flat blues

*

Estou escrevendo um livro aqui nos EUA equivale a estou fazendo aulas de inglês no Brasil. #TodoMundoFaz

Segunda-feira, nove da noite, festa na beira da piscina, eu com frio e exausta, o convercê não tinha fim e de repente eu falo um CINQUENTA! O cérebro cansou, desligou o inglês, entrou em ponto morto.

Entardecer da sexta-feira, fui para o encontro mensal do grupo de colecionadores de Barbie. Como fui convidada pra isso é uma longa história, porque nunca nem tive Barbie. Sou do time das meninas endiabradas que destruíam as Susis. Era um show & tell, então imprimi fotos da Susi [e da Susi e Beto juntos—duas do Beto sozinho, pelado] e fui na maior cara de pau. Minha Susi brasileira até que fez sucesso e muitas pessoas ficaram interessadas. Não sei se voltarei, porque nem tenho boneca, muito menos coleciono, mas o pessoal lá é profissional e têm quartos inteiros na casa reservados pra coleção. E as bonecas são impressionantes.

E na reunião dos webworkers no campus tinha um moço de camisa de manga comprida, gravata, sapato de couro e um cabelo com um corte totalmente anos 30! Queria ter tido coragem pra tirar uma foto, mas não tive. O look vintage dele estava diferente, porque programadores estão sempre de chinelo, camiseta, cabelão ao vento. Minto, um dos programadores que tinha um cabelão preso como se fosse um samurai, agora está de cabelo curto e bigode. Um ex-samurai de chinelo de dedo e bigode.

Eu sonho que a recuperação dele seja mágica. ✨

  • Share on:

vamos?

*

Oi, pode entrar, é aqui mesmo! Você não clicou em blog errado. Este é o velho The Chatterbox de guerra, finalmente de casa nova depois de quase dezesseis anos de estrada. Não estava pensando em mudanças visuais, mas fui obrigada. Há anos que eu estava querendo aposentar o publicador que eu usava desde 2001, o Movable Type, pois ele deixou de ser o melhor programa já faz uma década. Mas a falta de tempo me fez protelar. Sem falar no medo da trabalheira que iria ser mudar tantos anos de tagarelice e imagens de um lado pro outro. Aproveitei uma folga que tive, folga forçada por causa de uma pequena cirurgia, e usei os dias de cama pra fazer a migração. Foi uma tarefa hercúlea e precisei da ajuda do meu filho no final, mas consegui migrar meus blogs para o WordPress. Uma das grandes vantagens desse publicador é que agora meus blogs são responsive, ou seja, visualizam bem em todas as plataformas. A Matraca agora é mobile friendly e tem um monte de outras coisinhas utilitárias. Por favor me avisem se virem algo quebrado, que eu consertarei prontamente. Bem-vindos a nossa nova moradia, fiquem a vontade e divirtam-se!

  • Share on:

novidades

o passado não condena

comentadas

socialite